PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Primeiro nascido em 2000 a jogar na elite europeia luta contra a 4ª divisão

Thill é apresentado como reforço do francês Pau FC e será o camisa 10 - Divulgação/Pau FC
Thill é apresentado como reforço do francês Pau FC e será o camisa 10 Imagem: Divulgação/Pau FC

Do UOL, em São Paulo

24/08/2018 04h00

No dia 21 de setembro de 2016, graças aos oito minutos em que ficou em campo, Vincent Thill fez história. Ao entrar durante a partida entre Metz e Bordeaux, ele se tornou o primeiro jogador nascido nos anos 2000 a estrear na elite das cinco maiores ligas da Europa (Francês, Inglês, Espanhol, Italiano e Alemão). Menos de dois anos se passaram, no entanto, e o promissor jogador hoje briga contra a quarta divisão.

Atualmente, Thill, que é nascido em Luxemburgo, está emprestado ao Pau FC, da terceira divisão francesa. O Metz o mandou para a modesta equipe no início deste mês com contrato de um ano. A transferência resume como um início que parecia promissor se tornou, até o momento, mais uma história de um jovem jogador com dificuldade para vingar no profissional.

No verão europeu de 2016, portanto antes de fazer história naquele Metz x Bordeaux, Thill já estava na mira do Bayern de Munique. O Metz, no entanto, preferiu mantê-lo. Sua estreia virou notícia no mundo do futebol pelo fato de ele ter inaugurado a presença dos nascidos a partir de 2000 na elite europeia.

Depois disso, seu empresário ainda divulgou que o Real Madrid havia feito uma sondagem a Thill, habilidoso meia canhoto com características ofensivas. Os meses que se seguiram, porém, não confirmaram tal ascensão.

Thill mal teve chances no restante daquela temporada. Só voltou a jogar pelo profissional no início da temporada 2017/2018 e, ainda assim, sua escalação se tornou uma exceção na rotina do time. Em paralelo, o meio-campista passou a ser presença frequente nas convocações de Luxemburgo.

No total, ele já disputou 15 jogos pela seleção de seu país e fez um gol. Sua passagem mais famosa por Luxemburgo, no entanto, se deu por um motivo ruim. Em jogo das eliminatórias da Copa contra a Holanda, Thill deu chilique ao ser substituído. Saiu esbravejando, não cumprimentou o treinador e deu dois chutes em garrafas e mochilas que estavam na beira do gramado.

Neste mês, então, o Metz decidiu emprestá-lo. E agora Thill terá que ajudar o Pau FC a não cair para a quarta divisão. Sua nova equipe subiu para a terceira divisão na temporada 2015/2016. No ano seguinte, ficou um ponto acima da zona de rebaixamento e evitou a queda.

Na última temporada, a novela se repetiu. Com uma sequência de três empates e uma vitória na reta final, o Pau FC lutou até a última rodada contra a degola e novamente ficou um ponto acima da zona de rebaixamento. Esse é o novo cenário de Vincent Thill, um dos símbolos dos nascidos em 2000 e que agora terá recomeçar no futebol francês.

Futebol