PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Léo se inspira em jogadores belgas para retomar estudos da graduação

Lukaku e Kompany viraram referências para Léo voltar a estudar - Pedro Vale/AGIF
Lukaku e Kompany viraram referências para Léo voltar a estudar Imagem: Pedro Vale/AGIF

Enrico Bruno

Do UOL, em Belo Horizonte

24/08/2018 04h00

Infeliz realidade do mundo da bola, principalmente no cenário nacional, poucos jogadores de futebol optam por seguir uma carreira além das quatro linhas no Brasil. Mas o zagueiro Léo, do Cruzeiro, é daqueles que pretende nadar contra essa maré. Defensor do clube há oito anos, o atleta já teve a oportunidade de começar uma faculdade, mas precisou parar devido à rotina corrida dos atletas. Agora, o zagueiro vê uma nova chance para retomar os estudos e se espelha em jogadores como Lukaku e Kompany para se tornar o mais novo graduado na Toca da Raposa.

Desde a partida contra o Santos, o Cruzeiro leva na parte de trás da camisa o patrocínio de uma instituição de ensino que vai oferecer bolsas de estudos EaD aos garotos da base, assim como desconto para sócios torcedores. No elenco profissional, Léo será o primeiro aluno e vai retomar o curso de administração.

A inspiração nos atletas da seleção belga foi reforçada no período da última Copa do Mundo. Vice-artilheiro da competição, Romelu Lukaku chamou atenção também pela desenvoltura ao lidar com vários idiomas. O atacante aprendeu desde cedo o francês e holandês, línguas oficiais da Bélgica. Hoje no Manchester United, Lukaku também fala inglês, espanhol, alemão e o dialeto da sua família no Congo. Já a competência para falar português veio do convívio com David Luiz, Willian e outros brasileiros dos tempos de Chelsea. Kompany, seu companheiro de seleção, finalizou seu MBA em Administração de Negócios no final do ano passado, na Inglaterra. Ambos viraram exemplos para Léo.

“Nessa Copa do Mundo, tivemos alguns bons exemplos sobre educação na seleção da Bélgica. O próprio Lukaku fala seis línguas diferentes, o Kompany tem mestrado. São jogadores de uma geração que tem se aprofundado nisso e intensificado nessa questão intelectual. Isso será uma crescente muito grande para o futuro”, comentou o zagueiro do Cruzeiro.

Léo também já esteve ligado a outros assuntos relacionados à educação. No ano passado, o zagueiro foi autor do livro “A quinta estrela”, que conta os bastidores da trajetória celeste na caminhada do pentacampeonato na Copa do Brasil. No Cruzeiro, ele tem a companhia do goleiro Rafael, que também iniciou uma graduação em Educação Física, mas não chegou a completar o curso.

Futebol