Topo

Futebol


Mineirão reprova nome Toca 3 em game; Cruzeiro não entende e Konami se cala

Mineirão se irrita com mudança de nome em jogo de videogame - Foto: Reprodução/Google Street View
Mineirão se irrita com mudança de nome em jogo de videogame Imagem: Foto: Reprodução/Google Street View

Enrico Bruno e Thiago Fernandes

Do UOL, em Belo Horizonte

23/08/2018 04h00

O torcedor do Cruzeiro já se acostumou a chamar o Mineirão de Toca da Raposa III. E se depender da Konami, desenvolvedora do Pro Evolution Soccer 2019, este nome será difundido para o resto do mundo. O fato não agrada à Minas Arena, gestora do local, que promete notificar a empresa por conta do caso.

A empresa nomeou o campo como Toca da Raposa III na versão internacional do game. Na opção brasileira, todavia, a escolha foi pela forma como o local é realmente conhecido.

A escolha da Konami, segundo o Cruzeiro, foi uma sugestão do clube. Em entrevista ao UOL Esporte, o diretor comercial Robson Pires falou sobre o caso:

"É um caso pensado da torcida do Cruzeiro com o seu estádio. A torcida já identifica o estádio como Toca III. Já caiu no imaginário, está arraigado para a torcida. Eles conversaram com a gente e viram que Toca III é o melhor nome. Foi algo conversado de forma bem natural. A torcida entende que a casa do Cruzeiro é a Toca III", disse o dirigente, que ainda falou sobre as distinções entre as versões:

"Talvez por alguma opção deles a tradução tenha sido diferente. Mas essa não é nem uma posição do clube, é da torcida do Cruzeiro".

O problema é que o fato não foi visto com bons olhos pelo Mineirão. A empresa que gere o estádio em um acordo com o governo de Minas Gerais reprovou a escolha e prometeu notificar a Konami, exigindo a utilização do nome correto.

"Com relação à notícia veiculada na imprensa sobre a alteração do nome do Estádio Mineirão na versão 2019 em jogo de videogame, somente a concessionária que o administra possui os direitos de comercialização da imagem e nome do estádio. A empresa responsável por este uso será notificada", informou a Minas Arena.

"Conforme o contrato de Parceria Público-Privada firmado com o Estado, é responsabilidade da concessionária zelar pelo patrimônio do estádio e conferir isonomia a todos os clubes mineiros em quaisquer assuntos relacionados ao Complexo Mineirão", acrescentou.

A indignação da Minas Arena, no entanto, é vista como surpresa pelo Cruzeiro. Robson Pires crê que o acordo entre as partes permite que o Mineirão seja conhecido como a Toca da Raposa III.

"O Cruzeiro acha estranho. Qualquer imagem sua relacionada ao estádio naturalmente não pode ser dissociada. O contrário também vale do mesmo jeito. A Toca III também pode usar naturalmente a imagem do Cruzeiro quando ele joga lá. Acho muito estranho se há essa oposição, mas temos um bom relacionamento e vamos conversar com eles", comentou.

Procurada pela reportagem, a assessoria de imprensa da Konami no Brasil informou que a empresa prefere não se pronunciar sobre o caso.

Futebol