PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Com Loss blindado, Andrés prepara cobranças para elenco do Corinthians

Liamara Polli/AGIF
Imagem: Liamara Polli/AGIF

Dassler Marques

Do UOL, em São Paulo

23/08/2018 15h34

O presidente do Corinthians Andrés Sanchez pretende conversar com jogadores em razão da sequência de jogos sem vitória da equipe. Em um movimento que também dá apoio a Osmar Loss no comando técnico, Sanchez avisou a membros da diretoria que iria ao CT Joaquim Grava ainda nesta semana para cobrar melhor desempenho.

A estratégia de Sanchez é discutir situações de ordem técnica de maneira reservada, mas dar apoio público e interno para Loss. O ex-auxiliar e treinador da base foi idealizado por ele como técnico para o futuro do Corinthians desde que venceu as eleições, em fevereiro. Nos meses que antecederam a saída de Fábio Carille, o presidente já dizia que Osmar seria sua aposta para o cargo. A ideia é reforçar essa posição aos jogadores.

Na avaliação de Sanchez, externada a jornalistas ainda no Maracanã na última quarta, o treinador possui apoio do elenco e merece mais tempo para reverter uma situação que se torna mais difícil após cada semana. Enquanto seu discurso tiver aceitação, ele será mantido, ainda conforme diz o presidente.

Na noite da última quarta (22), o Corinthians perdeu para o Fluminense por 1 a 0 e chegou a quatro jogos sem vencer no Brasileiro, com três derrotas e um empate. A situação na Copa Libertadores também é delicada depois de derrota por 1 a 0 no jogo de ida pelas oitavas de final, contra o Colo-Colo.

Como estratégia para abafar pelo menos uma parte da pressão, o presidente do Corinthians também declarou no Maracanã que a Libertadores é apenas a terceira competição mais importante do semestre, embora tenha os ingressos mais caros e seja o título mais desejado pela torcida.

A ideia da direção é tentar deixar o ambiente menos pesado para tentar recuperar o placar desfavorável na próxima quarta. Há a preocupação de que a pressão aumente e gere protestos de torcidas organizadas em caso de eliminação. O clube ainda estuda um possível treino na Arena Corinthians no início da semana que vem como forma de incentivar os atletas.

Alinhado ao discurso que se espalhou pelo Corinthians nos últimos dias, o volante Ralf deu apoio público a Loss no início da tarde desta quinta. "Temos que nos unir e nos fecharmos com o treinador", disse.

Em três meses no cargo desde a saída de Carille para a Arábia Saudita, Loss tem aproveitamento de 38% e, com mais uma derrota, se aproximou de Oswaldo de Oliveira, o pior treinador recente em pontos conquistados, com 37% na temporada 2016. Essa já é a temporada com mais derrotas desde 2007.

A cultura de resistir a demissões de treinadores é uma premissa do grupo político de Sanchez no comando do Corinthians e que se tornou mais forte com a manutenção de Tite, em 2011, após eliminação para o Tolima na preliminar da Copa Libertadores. Em 11 anos, apenas Oswaldo de Oliveira, Cristóvão Borges e Adílson Batista foram mandados embora.

Futebol