PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Após ruptura, Brant pensa em aliança com Campello por projeto em Portugal

Julio Brant e Alexandre Campello quando eram aliados na eleição do Vasco - Thiago Ribeiro/AGIF
Julio Brant e Alexandre Campello quando eram aliados na eleição do Vasco Imagem: Thiago Ribeiro/AGIF

Bruno Braz

Do UOL, no Rio de Janeiro

23/08/2018 04h00

Após oito meses de uma ruptura digna de uma teledramaturgia no Vasco, Alexandre Campello e Julio Brant poderão falar a mesma língua. E o ponto de equilíbrio para os unir vem de longe, mais precisamente de Portugal. Envolvido na eleição presidencial do Sporting (POR), Brant é o trunfo do candidato Rui Jorge Rego com um fundo de investimento que promete um aporte de 120 milhões de euros ao clube lusitano. Como condição para tal, o líder da oposição cruzmaltina exige uma proposta de parceria com a equipe de São Januário.

"Caso o Rui vença, já há um compromisso da parte dele de se colocar à disposição para conversar com o Vasco. Eu vou fazer essa ponte para começar essa parceria estratégica tão logo ele assuma. Espero que o Campello se coloque à disposição para isso. Acho que pode ser bom para o clube", declarou Brant ao UOL Esporte.

A aproximação de Julio com Rui Jorge Rego se deu por conta dos anos em que morou em Portugal em função de suas atividades profissionais. Quando se lançou candidato, Rego demonstrou interesse no projeto e, com a derrota de Brant no Vasco, iniciou-se as conversas para transferir o fundo ao Sporting.

“Era um projeto que estava todo pronto para o Vasco. E na eleição, como o Rui é meu amigo, pediu ajuda. Temos o projeto todo estruturado. É uma plataforma de futebol global envolvendo marketing, licenciamento e intercâmbio técnico entre Brasil, Portugal e China. Por conta dos acontecimentos na eleição do Vasco, ele pediu para inverter e eu coloquei que fosse condicionado ao projeto, o Vasco. Ele (Rui) entrando, já está acertado entre nós que ele vai procurar sentar com o Campello. A condição que eu coloquei é que o Vasco continue sendo parte do projeto”, declarou.

A proposta de parceria entre Sporting e Vasco - que Brant promete que Rui Jorge Rego oferecerá - é a de um intercâmbio envolvendo as diversas áreas do clube, desde jogadores até membros de comissão técnica, médica e de áreas de marketing e administrativas.

À frente do futebol do Sporting, caso Rego vença, estará o ex-lateral da seleção brasileira Roberto Carlos, que será o diretor-técnico do clube. 

“Nossa plataforma com o Roberto Carlos prevê investimento e infra-estrutura no futebol e apoio e participação técnica”, explicou Brant.

Um dos braços do fundo de investimento com a China, segundo Julio, é a empresa de consultoria KNG. Brant vê, além do grande mercado consumidor, um futebol em crescimento e um laço com a língua portuguesa no país asiático.

“Identificamos um mercado em crescimento no desenvolvimento do futebol. E existe uma relação com a língua portuguesa por Macau (região que foi colonizada por Portugal e usa também o idioma português). Entendemos que podemos aproveitar essa relação que é fortíssima entre esses três países para nos dar acesso ao mercado chinês”, declarou.

A eleição no Sporting acontecerá no dia 7 de setembro, mas mesmo que Rui Jorge Rego vença, Julio Brant afirma que não se afastará do Vasco, deixando no ar que poderá ser candidato novamente na próxima eleição cruzmaltina, em 2020.

“De jeito nenhum (se afastar), não tem nada a ver com isso. Minha vida é 100% Vasco. Esse projeto, é bom que se diga, é um projeto para o Vasco”.

Julio Brant  havia se aliado com Alexandre Campello na eleição no Vasco entre os sócios e a chapa da dupla venceu a de Eurico Miranda. Porém, no pleito restrito ao Conselho Deliberativo, Campello rompeu com Brant, se aliou com os pares de Miranda e se tornou o presidente do Vasco. 

Futebol