PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Thiago Santos cresce no Palmeiras e vira "troca certa" no estilo Felipão

Thiago Santos tem entrado para ajudar o Palmeiras a segurar o placar com Felipão - MAURICIA DA MATTA / EC VITÓRIA
Thiago Santos tem entrado para ajudar o Palmeiras a segurar o placar com Felipão Imagem: MAURICIA DA MATTA / EC VITÓRIA

Leandro Miranda

Do UOL, em São Paulo

22/08/2018 04h00

O excelente início de Luiz Felipe Scolari em seu retorno ao Palmeiras tem se caracterizado pelo bom uso do elenco, utilizando uma equipe mais alternativa no Campeonato Brasileiro e o time considerado titular nos mata-matas da Copa do Brasil e da Libertadores. E um dos jogadores que mais se beneficia disso para ganhar espaço é Thiago Santos. O volante esteve em campo em todos os seis jogos sob a nova comissão técnica, seja começando como titular ou entrando no decorrer do jogo - se tornou uma espécie de "troca certa" de Felipão.

Thiago Santos é um jogador de características únicas no elenco. É o volante de marcação mais tradicional da equipe, com mais pegada defensiva e poder de perseguição que o titular Felipe Melo, apesar de inferior com a bola no pé. No estilo implantado por Felipão nesse início de trabalho, o camisa 5 tem caído como uma luva no que o treinador pede do time: marcação forte no meio, coberturas defensivas atentas e um jogo mais direto ao recuperar a bola, procurando o passe rápido e simples para frente.

Com Roger Machado, Thiago havia entrado em campo em apenas três dos dez jogos do Brasileirão em que havia começado no banco. Já com Felipão, ele apareceu no segundo tempo de todas as três partidas em que não saiu jogando, quando o técnico usou os titulares nos mata-matas. E sempre entrando no lugar de atletas mais ofensivos: nos dois jogos contra o Bahia pela Copa do Brasil, entrou nos lugares de Dudu e Borja; já contra o Cerro Porteño, na Libertadores, substituiu Moisés.

O maior espaço a Thiago Santos tem sido guiado por dois fatores principais, que estão relacionados. O primeiro é que, com Felipão, o Palmeiras tem conseguido se manter em vantagem no placar por mais tempo, ao contrário do que vinha acontecendo na reta final de Roger. Com isso, no segundo tempo, a preocupação do time tem sido segurar a vitória em vez de correr atrás do resultado, o que abre as portas para uma participação maior do volante de marcação.

Em segundo lugar, Felipão tem testado propostas mais defensivas que não costumavam aparecer na época de Roger. Um exemplo foi o uso do lateral Diogo Barbosa como ponta esquerda no final do jogo com o Bahia, protegendo Victor Luís. Nesse contexto, Thiago Santos já entrou duas vezes para formar um tripé de volantes com Felipe Melo e Bruno Henrique, dando proteção extra à entrada da área do Palmeiras.

O uso de um volante fixo à frente da defesa é um dos conceitos mais enraizados na trajetória de Felipão e é compartilhado pelo auxiliar Paulo Turra, principal responsável pelos treinos de marcação da equipe. A melhora defensiva do time, que ainda não sofreu gols em seis jogos com a nova comissão técnica, tem mostrado os benefícios dessa nova filosofia de jogo. Nesta quarta-feira (22), contra o Botafogo, pelo Brasileirão, Thiago deve começar no banco. Mas, como de costume, a torcida pode esperar o camisa 5 em campo se o alviverde estiver à frente do placar no segundo tempo.

Futebol