PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Independiente contesta escalação de Sánchéz; Santos cita anistia de cartões

Juan Mabromata/AFP
Imagem: Juan Mabromata/AFP

Marcel Rizzo e Samir Carvalho

Do UOL, em São Paulo

22/08/2018 11h39

O Independiente contesta a escalação do meio-campista Carlos Sánchez pelo Santos na última terça-feira (22), pelas oitavas de final da Copa Libertadores, e cogita a possibilidade de protestar junto à Conmebol, informam os principais jornais argentinos como o "La Nacion" e o "Olé".

O motivo é o cartão vermelho recebido pelo jogador no dia 26 de novembro de 2015, quando defendeu o River Plate em partida contra o Huracán pela Copa Sul-Americana. Esta foi a última partida do jogador por uma competição sul-americana - ele atuou no futebol mexicano depois, o que obrigaria ele a cumprir suspensão na seguinte.

O Santos, no entanto, alega que o jogador tinha condições de jogo como consequência de uma anistia promovida pela Conmebol em seu centenário, em 2016, quando diminuiu pela metade a pena em vigor de jogadores em competições sul-americanas.

Em contato com o UOL Esporte, a Conmebol afirmou que não se pronunciará oficialmente porque o Independiente não entrou com ação e não deu mais detalhes sobre o caso. A entidade ainda não esclareceu se a suspensão automática de Sánchez teve punição ampliada pelo Tribunal de Disciplina da Conmebol nem como seria a resolução da anistia com jogadores punidos com um jogo apenas.

Caso o Independiente entre com ação, o Santos corre risco de ser declarado perdedor (3 a 0) no duelo de ida contra o Independiente, da última terça-feira, pelas oitavas de final. O jogo terminou empatado por 0 a 0 e os dois times voltam a se enfrentar na próxima semana, no Brasil.

Futebol