Topo

Futebol


Sevilla perde pênalti nos acréscimos, Barça vence e conquista Supercopa

Do UOL, em São Paulo

12/08/2018 18h57

O Barcelona é o campeão da Supercopa da Espanha. A partida realizada neste domingo (12) em Tanger, no Marrocos, teve Arthur titular no clube catalão, golaço de Dembélé, VAR (árbitro de vídeo) pela primeira vez no futebol espanhol, pênalti perdido pelo Sevilla nos acréscimos e vitória do Barça por 2 a 1. Piqué fez o outro gol dos catalães, enquanto Sarabia descontou.

Esta foi a primeira vez que a Supercopa foi realizada em jogo único. Até a última temporada, o campeão era decidido em jogos de ida e volta.

Logo aos oito minutos, Muriel recebeu em velocidade, fez bela jogada e tocou para Sarabia, que bateu de primeira e marcou para o Sevilla. A arbitragem marcou impedimento, mas foi avisada pelo VAR e validou o gol, já que a posição era legal. Esta foi a primeira vez que o recurso foi utilizado no futebol espanhol.

Mais tarde, o Barça conseguiu o empate com Piqué. Arthur sofreu falta na entrada da área, e Messi foi para a cobrança. A bola bateu na trave, no goleiro Vaclik e sobrou para o zagueiro, que deu de carrinho para deixar o placar empatado ainda na primeira etapa.

Na volta do intervalo, o técnico do Barcelona, Ernesto Valverde, trocou um brasileiro por outro. Aos oito minutos, Arthur deu lugar a Coutinho. Antes, o também brasileiro Rafinha saiu para a entrada de Rakitic.

No segundo tempo, o jogo esfriou um pouco, e a melhor chance até os 15 minutos foi novamente em cobrança de falta de Messi. Desta vez, Vaclik espalmou para o lado direito. Pouco depois, o Sevilla respondeu com Vázquez, que desviou de cabeça e acertou o travessão.

Mais tarde, Vacliik fez duas grandes defesas para salvar o Sevilla, mas não evitou um golaço de Dembélé. Aos 33 minutos, o camisa 11 recebeu pela direita, não foi atrapalhado por ninguém e soltou uma bomba. A bola bateu no travessão e entrou.

Já nos acréscimos, Aleix Vidal, ex-Barça, foi derrubado por Ter Stegen, e a arbitragem marcou pênalti. Porém, na cobrança, Ben Yedder parou na defesa do goleiro alemão, e o título ficou mesmo com os catalães.

O Barça volta a jogar na próxima quarta-feira, quando recebe o Boca Juniors no Camp Nou pelo Troféu Joan Gamper. Um dia depois, na quinta-feira, o Sevilla visita o Zalgiris Vilnius pela fase preliminar da Liga Europa.

Adeus, polêmica

Valverde decidiu deixar Malcom de fora da partida e, desta forma, acabou com a polêmica envolvendo o limite de três jogadores extracomunitários para a final. O Barça teria que cortar um dos jogadores extracomunitários, já que a equipe contava com quatro atletas com cidadania de países não europeus.

Às vésperas da final, no entanto, Coutinho tirou o passaporte português e ficou à disposição para o jogo sem que Valverde precisasse cortar outro atleta. Assim, Arthur foi colocado entre os titulares, enquanto o chileno Vidal começou no banco e entrou nos minutos finais.

Porém, para evitar qualquer futuro problema caso a documentação de Coutinho não fosse aceita, o clube catalão optou por deixar Malcom de fora.

BARCELONA 2 X 1 SEVILLA

Local: Estádio de Tanger, Marrocos
Hora: 17h (de Brasília)
Árbitro: Carlos del Cerro Grande
Auxiliares: Juan Yueste e Abraham Álvarez
Árbitro de vídeo: Jesús Gil Manzano
Gols: Sarabia, aos 17min do 1º tempo, Piqué, aos 42min do 1º tempo, Dembélé, aos 33min do 2º tempo
Cartões amarelos: Ter Stegen, Lenglet e Busquets (Barcelona); Vázquez, Mesa, Vidal (Sevilla).

Barcelona
Ter Stegen; Semedo, Piqué, Lenglet e Alba; Rafinha (Rakitic), Busquets e Arthur (Coutinho); Messi, Luis Suárez e Dembélé (Vidal).
Técnico: Ernesto Valverde.

Sevilla
Vaclík; Mercado (Bem Yedder), Sergi Gómez, Kjaer, Escudero; Roque Mesa, Banega, Franco Vázquez, Jesús Navas, Sarabia (Vidal) e Muriel (André Silva).
Técnico: Pablo Machín.

Futebol