PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Acordo com Cuca ajudou Santos a vencer queda de braço e evitar Luxa

Samir Carvalho

Do UOL, em Santos (SP)

31/07/2018 04h00

O Santos surpreendeu na última segunda-feira (30) e acertou a contratação do técnico Cuca para substituir Jair Ventura, demitido há uma semana. Mais do que uma simples definição de quem comandará o time (a princípio) até o fim de 2019, a chegada do novo treinador, que já comandou o Santos em 2008, significa uma vitória política da situação, que nos últimos dias conviveu com uma enorme pressão da oposição para a contratação de Vanderlei Luxemburgo.

O presidente José Carlos Peres e todo Conselho Gestor do clube da Vila Belmiro eram contrários ao nome de Vanderlei. Ainda assim, por pressão, o mandatário santista solicitou ao executivo de futebol, Ricardo Gomes, que abrisse as negociações por Luxemburgo. O técnico, inclusive, chegou a ficar empolgado com a possibilidade de acerto, uma vez que o acordo esteve bem adiantado, inclusive com definição de salário e outros detalhes de contrato.

Luxemburgo, porém, não era desejo de Peres, que há algum tempo vive momento de extrema pressão dentro do clube. Segundo apurou o UOL Esporte, os oposicionistas do Santos chegaram até a espalhar novamente o celular do presidente José Carlos Peres nas redes sociais para que o mandatário optasse por Vanderlei.

Além disso, os oposicionistas ganharam recentemente ainda mais força política com o caso de tentativa de impeachment, que avançou. Está marcada para 31 de agosto uma reunião extraordinária do Conselho Deliberativo para a votação da sequência, ou não, do processo contra o presidente.

O presidente do Santos, José Carlos Peres, será o chefe da delegação brasileira no amistoso contra a Croácia - Ivan Storti/Santos FC - Ivan Storti/Santos FC
Imagem: Ivan Storti/Santos FC

O principal nome de Peres para conter a pressão da oposição – e até do vice Orlando Rollo, favorável à contratação de Vanderlei – era o de Juan Carlos Osorio. Seria um técnico de peso que chegaria ao clube depois de comandar o México na Copa do Mundo. Porém, a negociação com o técnico colombiano, que ainda sonha em treinar a seleção de seu país, não avançou.

Contratar Zé Ricardo também não seria suficiente para calar a oposição santista. A resposta de Peres, então, foi Cuca. Sem clube desde 2017, quando deixou o Palmeiras, o técnico acumula conquistas recentes importantes, como a Libertadores pelo Atlético-MG (2013) e o Campeonato Brasileiro pelo Palmeiras (2016), e chega com um nome forte não só para fazer o Santos reagir na temporada como também para vencer a queda de braço política.

“Tinham dois nomes, trabalhei neles, e depois apareceu essa outra possibilidade. E quando tive o acordo do presidente, começamos a trabalhar. Não foi difícil. Começamos a negociar hoje de manhã. Em duas, três horas de negociação conseguimos chegar a um consenso”, disse o executivo Ricardo Gomes em entrevista coletiva concedida na última segunda-feira (30).

A expectativa é que Cuca seja apresentado nesta terça-feira (31) e já comande o time no jogo de quarta-feira (1), contra o Cruzeiro, na Vila Belmiro, pelas quartas de final da Copa do Brasil.

Futebol