PUBLICIDADE
Topo

Futebol

CAS rejeita apelação de Valcke e dirigente segue banido do futebol

AFP PHOTO/ NELSON ALMEIDA
Imagem: AFP PHOTO/ NELSON ALMEIDA

Do UOL, em São Paulo

27/07/2018 08h48

A Corte Arbitral do Esporte (CAS) negou nesta sexta-feira (27) recurso interposto pela defesa do ex-secretário-geral da Fifa Jérôme Valcke, e manteve a punição dada ao dirigente. Em fevereiro do ano passado, o Tribunal suspendeu Valcke de qualquer atividade ligada ao futebol por 12 anos, além da manutenção da multa de 100 mil francos suíços (R$ 376 mil).

Depois do primeiro recurso feito em 2017, a pena foi reduzida para 10 anos.

Valcke tentava anular a pena. O pedido foi analisado pelo CAS em audiência realizada em outubro, cuja decisão foi apresentada nesta sexta (27). Em nota oficial, o CAS explicou por que rejeitou o pedido do ex-dirigente da Fifa.
"As infrações cometidas por Jérôme Valcke foram acumulativamente graves e que, em consequência, as sanções foram plenamente proporcionais"

Valcke foi afastado das suas funções na Fifa em setembro de 2015, acusado em um processo de revenda de ingressos para a Copa do Mundo de 2014, no Brasil. No dia 14 de fevereiro de 2016, foi demitido do cargo.

No Mundial de 2014, Valcke foi o braço direito do então presidente da Fifa, Joseph Blatter, Uma das missões de Valcke era coordenar o processo de desenvolvimento da Copa no Brasil, analisando prazos e se reunindo com autoridades brasileiras, entre outras funções. 

A punição de 10 anos a Valcke tem como base as violações dos artigos 13 da Fifa (Regras gerais de conduta), artigo 15 (fidelidade), artigo 16 (confidencialidade), artigo 18 (dever de informação, cooperação e comunicação), artigo 19 (Conflito de interesses), artigo 20 (oferta e aceitação de presentes e outros benefícios) e artigo 41 (Obrigação das partes a colaborar) do Código de Ética da Fifa.

Futebol