PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Cazares fica, mas Atlético-MG soma R$ 70 milhões em vendas na temporada

Lucas Pratto rendeu mais R$ 11,5 milhões ao Atlético-MG com troca do São Paulo pelo River Plate - Bruno Cantini/Atlético
Lucas Pratto rendeu mais R$ 11,5 milhões ao Atlético-MG com troca do São Paulo pelo River Plate Imagem: Bruno Cantini/Atlético

Victor Martins

Do UOL, em Belo Horizonte

27/07/2018 04h00

Foram mais de duas semanas de negociação com o Shabab Al Ahli Dubai Club, dos Emirados Árabes, pelo empréstimo de Cazares. Nesse período, o meia sequer treinou normalmente com o Atlético-MG. Com a transferência não concretizada, o equatoriano será aproveitado novamente pelo técnico Thiago Larghi. A permanência, no entanto, não afeta as finanças do clube mineiro, que em 2018 já bateu sua meta de arrecadação com transferências.

Pelo orçamento aprovado pelo conselho deliberativo do clube, em novembro do ano passado, a arrecadação total neste ano deve chegar perto de R$ 300 milhões. Desse valor, o previsto era conseguir R$ 50 milhões com empréstimos e vendas de atletas. Pelas negociações já concretizadas em 2018, o Atlético já superou a meta estipulada.

Em valores brutos, o clube passou de R$ 70 milhões nesse item. No entanto, não é a quantia total que entrou nos cofres, já que, em algumas negociações, o Galo tinha parceiros. É o caso da venda do zagueiro Bremer: o defensor foi negociado por cerca de R$ 27 milhões com o Torino, mas o clube ficou com aproximadamente R$ 18 milhões. Outro exemplo é o empréstimo de Otero para o Al-Wehda, da Arábia Saudita, por quase R$ 21 milhões. Parte da quantia foi para o Huachipato, que também tem participação nos direitos do meia venezuelano.

A lista de jogadores que renderam algum dinheiro tem ainda o atacante Lucas Pratto, que deixou o clube em fevereiro de 2017, além do meia Fred, vendido pelo Shakhtar Donetsk, da Ucrânia, para o Manchester United. Pelo jogador argentino o Galo recebeu R$ 11,5 milhões (Pratto foi do São Paulo para o River Plate). Já Fred rendeu cerca de R$ 3 milhões pelo mecanismo de solidariedade da Fifa.

Róger Guedes completa a lista das transferências que renderam um bom dinheiro: a diretoria alvinegra jogou com a pressa que existia para negociar o atacante e conseguiu abocanhar R$ 11,2 milhões na negociação. Pelo contrato que existia com o Palmeiras, o clube mineiro teria direito a pouco mais de R$ 600 mil.

Num primeiro momento, o empréstimo de Cazares renderia algo em torno de R$ 8 milhões. Além disso, o jogador seguiria para os Emirados Árabes Unidos com os direitos fixados em R$ 16 milhões. Como a negociação não aconteceu, Cazares já treinou normalmente nessa quinta-feira, na Cidade do Galo, e deve ser relacionado para o duelo com o Bahia, na segunda-feira, pela 16ª rodada do Campeonato Brasileiro, em Salvador. O meia equatoriano não atua desde 13 de junho, quando o Atlético bateu o Ceará, por 2 a 1, pela 12ª rodada.

Futebol