PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Liziero convence Aguirre no lugar de Jucilei e não teme concorrência no SP

Observados por Aguirre, Liziero e Reinaldo brincam durante treino do São Paulo - Érico Leonan / saopaulofc.net
Observados por Aguirre, Liziero e Reinaldo brincam durante treino do São Paulo Imagem: Érico Leonan / saopaulofc.net

José Eduardo Martins

Do UOL, em São Paulo

26/07/2018 04h00

Para o jogo desta quinta-feira, às 19h30, em Porto Alegre, contra o Grêmio, o técnico do São Paulo Diego Aguirre não poderá contar com Jucilei. Em recuperação de estiramento na região adutora da coxa esquerda, o volante não viajou com o restante do elenco do São Paulo. Para a vaga, o uruguaio conta com Liziero, que, promovido da base nesta temporada, se firmou no profissional sempre como terceiro homem do meio-campo.

O jovem de 20 anos, porém, convenceu o treinador de que pode atuar como volante no clássico do último sábado contra o Corinthians. "É uma posição que sempre fazia na base, também. Joguei de primeiro e de segundo volante. Não teve mudança no jeito de jogar. Eu acho normal", disse o meio campista em entrevista exclusiva ao UOL Esporte.

Durante a pausa para a Copa do Mundo, o São Paulo negociou o volante Petros para o Al-Nassr, da Arábia Saudita. Com a transferência, obviamente, aumentou a possibilidade de Liziero ser utilizado na equipe titular. Ainda assim, o jogador encara com naturalidade a concorrência interna e vê com bons olhos a possibilidade de o clube contratar um jogador para o setor.

"Nem penso nisso [reforço]. Se contratar um outro volante, será para somar, ajudar. E vai me ajudar a evoluir também, a não ficar acomodado, de certa forma. Se vier, será um cara de qualidade, que vai fazer todo o grupo crescer."

Confira abaixo os principais trechos da entrevista com Liziero:

Grêmio

Vai ser difícil, porque a equipe deles tem muita qualidade. Em casa, vão querer se impor. A torcida vai ser favorável para eles. Mas vamos ter que jogar com naturalidade e tentar fazer o melhor para sair com a vitória. É um time bem ofensivo, gosta de jogar com a bola. Eles gostam de propor o jogo. Então, vai ser um jogo bom, porque vamos marcar bem e tentar achar os contra-ataques e, quando der para jogar, vamos também.

Sequência

A gente lida muito com o próximo jogo, independentemente do que vem depois. Agora, estamos com a cabeça no Grêmio. Sabemos que será um jogo difícil lá, porque o time deles tem muita qualidade. Então, a gente não pode vacilar. Até porque não adiantaria nada ganhar do Flamengo para depois perder do Corinthians. A gente tem de pensar jogo a jogo para fazer os pontos.

Nota da redação: Logo após a Copa do Mundo, o São Paulo está encarando a sequência contra Flamengo, Corinthians, Grêmio e Cruzeiro.
Momento do São Paulo depois da Copa

Está muito bom. Nas semanas antes do retorno para o Brasileiro, nós trabalhamos muito forte, com tudo mundo focado e empenhado, sabendo que seria uma sequência difícil. O campeonato todo é complicado, mas estamos desempenhando um bom papel, com todos correndo e se dedicando. É manter essa pegada para tentar primeiro diminuir a diferença e depois passar o Flamengo.

Saída de Petros

Tem de sempre trabalhar para ser titular. É claro que com a saída do Petros abriu um pouco mais de espaço, mas se você não estiver bem e o treinador não tiver a confiança, ele não vai te colocar. Então, tem de mostrar todo dia que você está preparado.

Subir para o profissional

Acho que cada um tem uma história, não dá para comparar todo mundo, nem dizer para fazer isso ou aquilo que vai dar certo. Mas acho que tem de manter a tranquilidade, treinar firme, mostrar que está preparado durante os treinos e, quando tiver a oportunidade, provar que está preparado. Cada um reage de um jeito, para mim foi rápido. Foi natural, subi e me senti preparado para jogar.

Diferença entre profissional e a base

Acho que envolve mais a torcida, a pressão. A sua responsabilidade aumenta. E muito. Claro que quando você perde algum clássico na base é algo mais interno, aqui tem proporções maiores. Acho que o que muda, mesmo, é a proporção que tudo toma. A força dos jogadores tem uma diferença também.

André Jardine

Ajuda muito porque ele nos conhece. Claro que tem o meu papel também de mostrar em campo e nos treinos, mas o Jardine, como conhece, fala para o Aguirre sobre o jeito de cada um jogar. Ele sabe que [o jogador] não iria sentir de colocar durante o jogo.

Nota da redação: André Jardine é auxiliar de Aguirre, mas antes foi treinador das categorias de base do São Paulo.

Ficha técnica:

Data: 26/7/2018
Horário: 19h30
Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre
Árbitro: Grazianni Maciel Rocha (RJ)
Auxiliares: João Luiz Coelho de Albuquerque (RJ) e Thiago Henrique Neto Correa Farinha (RJ)

Grêmio: Grohe; Léo Moura (Léo Gomes), Geromel, Kannemann e Marcelo Oliveira; Cícero, Maicon, Ramiro (Marinho), Luan e Everton; Jael. Técnico: Renato Gaúcho.

São Paulo: Sidão; Militão, Arboleda, Anderson Martins e Reinaldo; Hudson, Liziero e Nenê; Joao Rojas, Diego Souza e Everton. Técnico: Diego Aguirre.

Futebol