PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Procuradoria pede 11 anos de prisão para ex-presidente do Barça

Albert Gea/Reuters
Imagem: Albert Gea/Reuters

Do UOL, com informações da EFE

25/07/2018 09h12

A Procuradoria da Espanha pediu nesta quarta-feira (25) 11 anos de prisão para o ex-presidente do Barcelona, Sandro Rosell, que é acusado de lavagem de dinheiro e organização criminosa. Ainda foi requerida uma multa de 59 milhões de euros (R$ 260 milhões) contra ele pela entidade.

Na acusação contra seis pessoas para este caso, também foram pedidos 7 anos de prisão para a esposa de Rosell, Marta Pineda, e mais 10 anos para o advogado de Andorra Joan Besolí.

A acusação alega que os réus, "pelo menos desde 2006, formaram uma estrutura estável, reforçada por laços de amizade e parentesco, dedicada à lavagem de dinheiro em grande escala", sob a direção de Rosell. Entre as acusações investigadas, está uma suposta comissão de US$ 26 milhões (R$ 96,7 milhões) recebida por ele na renovação de contrato da da Nike com a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) em 2008, quando Ricardo Teixeira estava à frente da CBF.

Sandro Rosell está em prisão incondicional desde maio 2017 por ordem do juiz Carmen Lamela, que investiga o caso. Enquanto se aguarda o julgamento, nesta quarta-feira começou a sua transferência da prisão de Soto del Real para Brians 2 em Sant Esteve Sesrovires (Barcelona). O pedido do dirigente de ir para uma prisão mais próxima de seu domicílio foi atendido.

Futebol