PUBLICIDADE
Topo

Futebol

São Paulo acerta a transferência de Militão para o Porto

Militão deve defender o São Paulo por mais quatro partidas - Marcello Zambrana/AGIF
Militão deve defender o São Paulo por mais quatro partidas Imagem: Marcello Zambrana/AGIF

Do UOL, em São Paulo

24/07/2018 19h15

Depois de muita negociação, o São Paulo fechou a venda de Militão para o Porto. O lateral direito, que tinha contrato com o Tricolor até janeiro, vai para o clube português nos próximos dias. Para já contar com o brasileiro em seu elenco, os portugueses vão pagar ao São Paulo 4 milhões de euros (R$ 17,52 milhões), sendo que o clube do Morumbi ainda terá direito a mais 10% de participação em futuras transferências. O jogador ainda poderá ser utilizado nas próximas quatro partidas do Tricolor paulista antes de viajar para a Europa.

Como o jovem, de 20 anos, tinha vínculo com o Tricolor até o dia 11 de janeiro de 2019, a partir do segundo semestre ele estava livre para assinar um pré-contrato com outro clube sem que o São Paulo recebesse uma compensação financeira. As tratativas foram conduzidas por Ulisses Jorge, empresário principal de Militão, e Giuliano Bertolucci, que representou estrangeiros em outras oportunidades, como na saída de Luiz Araújo para o Lille, da França. As outras partes envolvidas na transação devem receber cerca de 3 milhões de euros (R$ 13,14 milhões) pela operação.

Desde o ano passado, o São Paulo tentou renovar o acordo com Militão. O clube chegou a oferecer uma valorização salarial, para aumentar a multa rescisória e ampliar o vínculo. Mas o atleta e seu estafe sempre recusaram as propostas. Nesta temporada, o Tricolor prometeu estipular um teto para liberá-lo condizente ao mercado, além oferecer aumento dos vencimentos para o defensor e do repasse para o estafe do atleta.

Militão tinha o salário mais baixo entre os titulares do São Paulo. O jogador recebia R$ 12 mil mensais, enquanto outros atletas do mesmo time ganham 40 vezes mais. No Tricolor há quem suspeite até que o jogador recebia uma ajuda de custo de seu estafe.

Promovido ao profissional no ano passado, por Rogério Ceni, Militão é elogiado por sua polivalência. Além de se destacar na lateral direita, ele atua como zagueiro ou volante. Com as quedas de rendimento de Buffarini e Bruno, ele foi efetivado como lateral por Dorival Júnior em 2017. Para o setor, o Tricolor contratou durante essa pausa para a Copa do Mundo Bruno Peres, que estava na Roma.

Futebol