PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Abel recusa Santos, e Peres prioriza Zé Ricardo, Dorival e até estrangeiros

Zé Ricardo e Dorival conversam com a diretoria santista; Peres recua sobre estrangeiros - Thiago Ribeiro/AGIF
Zé Ricardo e Dorival conversam com a diretoria santista; Peres recua sobre estrangeiros Imagem: Thiago Ribeiro/AGIF

Samir Carvalho

Do UOL, em Santos (SP)

24/07/2018 13h57

O técnico Abel Braga recusou assumir o Santos no lugar de Jair Ventira, demitido na última segunda-feira após os empates contra Palmeiras e Chapecoense. Em contato com o UOL Esporte, Fábio Braga, ex-jogador e filho de Abel, confirmou o contato da diretoria santista, mas avisou que o foco de seu pai é apenas descansar com a família e, por isso, ele não assumirá nenhuma equipe no momento.

A 7Braga Sports, estafe de Abel, alega que o treinador disse “não” antes de ouvir a proposta santista. A reportagem, no entanto, apurou que o treinador pediu R$ 960 mil mensais e, por isso, o clube paulista procurou Zé Ricardo no mesmo dia.

Em entrevista ao SporTV, o treinador negou ter pedido o valor, mas o UOL Esporte sustenta a informação. "Eu li que o Abel não vai pro Santos porque ele pediu R$ 950 mil. O torcedor não é burro. Nenhum clube no Brasil pode pagar isso. Tão brincando ao dizer que eu não peguei por R$ 950 mil. Eu quero ganhar mais 5 caras do plantel? Minha participação num time de futebol é de 30%. Fiquei feliz de você me dar a oportunidade, são falsos, mentirosos e ninguém me ligou para falar de dinheiro, porque sabem que eu só vou negociar em janeiro", disse Abel.

O ex-treinador de Flamengo e Vasco é uma espécie de prioridade do diretor executivo, Ricardo Gomes, que ganhou “carta branca” do presidente José Carlos Peres, para contratar o substituto de Jair Ventura.

No entanto, o dirigente santista também mantém negociações com Dorival Júnior, que foi demitido pela antiga gestão do clube, comandada por Modesto Roma, na temporada passada, após iniciar a sua passagem pelo clube em 2015.

Além disso, José Carlos Peres trocou o discurso em relação a técnicos estrangeiros. Após descartar a opção na última segunda-feira, o dirigente disse, durante a apresentação de Carlos Sánchez nesta terça-feira, em São Paulo, que pode sim contratar um treinador de outro país.

“Não quero falar em nomes. Existe um rito, de primeiro escolher um perfil, e depois vai para o Comitê Gestor só para homologar. O cenário hoje é de contratação, temos que pensar em todas as hipóteses. Pode ser do exterior, do Brasil, São Paulo, Rio de Janeiro. É questão de disponibilidade”, explicou Peres.

“Conversamos com vários nomes de fora já, mas mudar de uma vez vai trazer desequilíbrio. Quem está vendo isso é o Ricardo Gomes, ele é a pessoa mais indicada, conhece muito o mercado internacional e nacional. Ele que está, vamos ver na reunião os nomes que conversou, que chegou a conclusão”, completou.

Entre os estrangeiros, Juan Carlos Osorio e Jorge Sampaoli foram os mais citados entre os santistas. Vale ressaltar que os “medalhões” brasileiros também não estão descartados: casos de Luiz Felipe Scolari, o Felipão, Vanderlei Luxemburgo e Cuca.

Peres e companhia esperam fechar a contratação do novo treinador até o próximo final de semana. Este é o prazo para o substituto de Jair Ventura chegar. “Numa negociação nunca se pode colocar uma data, é possível fechar até antes (do fim de semana)”, concluiu.

Futebol