PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Justiça bloqueia financeiramente o Vasco por dívida com restaurante

Presidente do Vasco, Alexandre Campello não reconhece valor da dívida - Paulo Fernandes / Flickr do Vasco
Presidente do Vasco, Alexandre Campello não reconhece valor da dívida Imagem: Paulo Fernandes / Flickr do Vasco

Do UOL, no Rio de Janeiro

23/07/2018 11h59

A juíza Leticia D' Aiuto de Moraes Ferreira Michelli, da 28ª Vara Cível do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro, reconheceu na última sexta-feira (20) a existência de uma dívida de cerca de R$ 1 milhão com a rede de bares e restaurantes Espetto Carioca e determinou o bloqueio de ativos financeiros do clube.

A cobrança é referente ao fornecimento de alimentos para funcionários e jogadores num período de três meses.

"Volto a dizer que, para nós, todo esse cenário é lastimável, quem perde é o futebol. Nossa intenção era de sermos patrocinadores do clube e, mesmo com a falta de pagamento por parte do Vasco, continuamos a prestar o nosso serviço com excelência e buscamos por diversas vezes resolver de forma amigável, inclusive reverter a dívida em patrocínio. Graças a Deus a Justiça não foi lenta", disse Leandro Souza, sócio-fundador da marca.

Na decisão a juíza determinou penhora nas contas correntes do Vasco antes mesmo de finalizar o processo.

"O próximo passo é discutir a multa que gira em torno de R$ 2 milhões por quebra de contrato e aguardar o resultado do bloqueio já determinado, depois avaliaremos a melhor medida para seguir com o processo", informou Leandro Meuser, Advogado do Espetto Carioca.

Em comunicado, a assessoria de imprensa do Vasco não reconheceu o valor da dívida: “O Club de Regatas Vasco da Gama informa que ainda não foi notificado. Quando for citado, o clube se pronunciará no processo. O Vasco reafirma que não reconhece o valor apresentado como sendo o devido”.

Futebol