PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Inter lucra 12 vezes mais que em 2017, mas ainda precisa vender jogadores

Anunciado, Alisson Becker posa com a camisa do Liverpool pela primeira vez - Divulgação/Liveprool FC
Anunciado, Alisson Becker posa com a camisa do Liverpool pela primeira vez Imagem: Divulgação/Liveprool FC

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

20/07/2018 04h00

O Internacional multiplicou por 12 os lucros com jogadores que já deixaram o clube. Enquanto o demonstrativo financeiro de 2017 aponta R$ 3,2 milhões de lucros neste molde, apenas nesta janela de transferências o Colorado já colocou (ou colocará) a mão em R$ 40,7 milhões. Ainda assim, a direção mantém o discurso que prega necessidade de venda de atletas para aliviar a situação financeira. 

Na conta exata, o clube gaúcho lucrou mais de 12 vezes o montante da temporada anterior. Os R$ 3,2 milhões multiplicados por 12 dariam R$ 38,4 milhões. Mas para utilização de valor exato, o 13 superaria a marca alcançada. 

As verbas são egressas de dois formatos básicos: mecanismos de solidariedade da Fifa e percentual sobre direitos econômicos de atletas vendidos. Nenhuma das saídas enfraqueceu o grupo, apenas levou volume aos cofres vermelhos. 

Que valem registro, foram sete negociações (observe o quadro ao fim do texto). A mais cara, os 5% pela formação de Alisson, que se transfere para o Liverpool. Um total de R$ 16,1 milhões. A menor, o percentual de formação de Marinho, que trocou o futebol chinês pelo Grêmio. Apenas R$ 250 mil. 

Com isso, o Colorado atinge o valor previsto no orçamento apresentado no início do ano. Eram R$ 40 milhões previstos com vendas de atletas. Mas a situação financeira ainda assusta. No começo do ano foi divulgado balanço das contas com um déficit recorde de R$ 62,5 milhões. 

Desta forma, a direção do Internacional mantém o discurso que prevê a necessidade de vender jogadores para amenizar a crise financeira do clube. 

"Esse ingresso de recursos nos dá fôlego para os próximos meses, para termos fluxo de caixa e para conseguir até chegar ao fim do ano numa condição melhor. Mas para o que queremos, e o que o clube quer, e o clube precisa, equilibrar o orçamento, a gente ainda tem a necessidade de um ingresso maior de recursos com a venda de jogadores. Para equilibrar seria necessário a venda de mais algum jogador. Mas não temos nenhuma proposta e não estamos oferecendo nossos jogadores. O Inter é muito grande, tem muitos recursos, e os que entraram nos dão tranquilidade para um fôlego maior", afirmou o vice de futebol Roberto Melo. 

E a conta ainda poderia ser maior caso tivesse se concretizado a ida do goleiro Jandrei da Chapecoense para a Sampdoria, da Itália. Mas a permanência no Brasil evitou a movimentação internacional de dinheiro. O mesmo poderia render na mudança de clube do volante Sandro, que deixou o Benevento para atuar no Genoa. Mas como se trata de uma transação entre clubes do mesmo país, não há disponibilidade de cobrança. 

Confira a lista de lucros do Inter fora do elenco:

- Alisson: R$ 16,1 milhões (mecanismo de solidariedade da Roma para o Liverpool)
- Valdívia - R$ 11,5 milhões (empréstimo para o Al-Ittihad)
- Anselmo - R$ 7,6 milhões (venda para o Al-Wehda)
- Fred - R$ 4 milhões (mecanismo de solidariedade do Shakhtar Donetsk para o Manchester United)
- Sidnei - R$ 800 mil (mecanismo de solidariedade do La Coruña para o FC Krasnodar)
- Maurides - R$ 500 mil (20% dos direitos econômicos. Venda para o CSKA Sofia)
- Marinho: R$ 250 mil (mecanismo de solidariedade do Changchun Yatai para o Grêmio)
TOTAL: R$ 40,7 milhões

Futebol