PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Reforços ficam mais caros para o Santos após venda de Rodrygo ao Real

Rodrygo foi vendido ao Real por pouco mais de 50 milhões de euros (R$ 226 milhões) - false
Rodrygo foi vendido ao Real por pouco mais de 50 milhões de euros (R$ 226 milhões)

Samir Carvalho

Do UOL, em Santos (SP)

30/06/2018 04h00

A venda do atacante Rodrygo ao Real Madrid, da Espanha, por pouco mais de 50 milhões de euros (R$ 226 milhões), trouxe dificuldades ao Santos no “mercado da bola” em busca de reforços. Clubes e empresários subiram os valores dos atletas que interessam ao alvinegro praiano, pois sabem que os santistas reforçaram os cofres recentemente.

O Real Madrid pagará neste mês de julho cerca de 20 milhões de euros (R$ 90,6 milhões). O restante será dividido em parcelas até o dia da apresentação oficial de Rodrygo ao clube espanhol, em 30 de junho de 2018.

A inflação no mercado em busca de reforços pôde ser identifica pela diretoria, principalmente, no caso do meia Lucas Zelarayán, do Tigres, do México. Após nova consulta pelo jogador, o Santos ficou espantado com a pedida do clube mexicano: US$ 9 milhões (R$ 35 milhões).

Além disso, o agente do argentino pressiona o Santos a fazer o negócio e, se não bastasse, aumentou a pedido salarial. Nesses valores, a diretoria santista só aceitaria realizar a transação se a DIS, braço esportivo do Grupo Sonda, ajudasse.

Os investidores buscam reaproximação com o Santos e entraram em contato com o Tigres recentemente para saber a possibilidade de contratar Zelarayán e repassá-lo ao clube paulista.

Além de Zelarayán, o Santos encara o mesmo problema com Carlos Sánchez, Bryan Ruiz e Paulo Henrique Ganso.

No caso de Sánchez, a diretoria santista fez uma contraproposta para reduzir o valor pedido pelo volante uruguaio que disputa a Copa do Mundo, na Rússia. Já Bryan Ruiz e Ganso são considerados sonhos impossíveis.

O Santos espera contratar entre três e quatro reforços nesta janela de transferências internacional. A prioridade é a chegada de volantes, meias e um centroavante. Jonathan Álvez, do Junior Barranquilla, da Colômbia, e “carrasco santista” na Copa Libertadores da América do ano passado, quando atuava pelo Barcelona-EQU, é uma das opções.

Futebol