PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Com bom início de Brasileiro, Carille vê gordura para focar Copa do Brasil

Daniel Vorley/AGIF
Imagem: Daniel Vorley/AGIF

Do UOL, em São Paulo

24/04/2018 17h51

Líder do Brasileirão com duas rodadas realizadas, o treinador Fábio Carille optou por utilizar força máxima no Corinthians para o duelo da próxima quarta-feira, em Salvador, contra o Vitória. O duelo é válido pela Copa do Brasil, e para Carille o momento é de abraçar todas as competições possíveis. Até porque os seis pontos iniciais na Série A dão segurança.

"A busca vai ser sempre pela vitória, independentemente da estratégia do jogo. Essa é nossa ideia. É uma competição diferente agora. Todo jogo passa a ser decisivo. Na Copa do Brasil não pode fazer um jogo ruim, porque só são dois jogos para definir. Mas a busca é sempre pela vitória", disse Carille nesta terça.

"É um campeonato que é diferente [Copa do Brasil], não tem mais o gol qualificado, estamos atentos a isso. Temos nossa forma independentemente do adversário, pode subir mais ou menos. Mata-mata não te dá chance de erro, muitas vezes não dá mais tempo de reverter uma situação. O Brasileiro te dá chance de erros, pode ter algumas derrotas e depois ser campeão. Temos que estar muito concentrados para o jogo", comparou sobre os torneios.

Perguntado sobre comparação entre a atual e a última temporada, Carille pediu calma, mas estabeleceu paralelos. "É muito cedo para falar. Claro que nós saímos da Sul-Americana e Copa do Brasil, o que abriu o campo para ficar só em uma competição. Por isso que gosto de trabalhar jogo a jogo, deixando bem definido com os atletas. Foi fora da curva ano passado, e esse ano começou melhor, porque nós empatamos na estreia [de 2017]. O que tenho cobrado é que a gente chegue nas últimas rodadas perto dos primeiros. Essa era a ideia do ano passado, e quem sabe não acontece isso outra vez", falou.

Confira mais declarações de Carille:

Elenco de qualidade
Estou satisfeito, e minha preocupação passa a ser a janela de transferências, de perder o menos possível para que continue um grupo forte. Estou satisfeito com o elenco, e agora trabalhando com a diretoria para que não saia ninguém ou um ou dois no máximo. (...) Meu elenco é mais equilibrado do que o ano passado, me sinto mais à vontade para fazer mudanças em jogos importantes.

Ralf no grupo
É muito importante essa opção, até a montagem passa por um jogador dessa característica. Se não tem um centroavante, a minha bola aérea fica muito ruim. Até por isso a escolha pelo Ralf em alguns jogos. Todo técnico vai querer sempre muito mais, e eu também sempre vou querer. Mas entre querer mais e ficar lamentando, eu deixo de lamentar, vou com esse grupo que acredito bastante.

Rodriguinho ficou inseguro em nova função
A busca do Corinthians por atletas é por questão de ambiente também. Trazer algum jogador que não faz bem para o ambiente às vezes atrapalha. Meu grupo é muito fácil, eles me questionam também, e eu cresço com isso. Contra o Palmeiras, que ia jogar sem centroavante, me questionaram o motivo, principalmente o Rodriguinho. Sempre foi assim no nosso vestiário. Eu deixo muito claro, explico aos atletas por que estou tirando, por que estou colocando, foi assim com o Gabriel que eu tirei. Isso fica mais fácil no dia a dia.

Desfalque em Salvador
Renê Júnior está fora da viagem. Vai fazer exames amanhã. A princípio nada muito sério, mas decidimos que ele vai ficar para fazer exames. Ele não iria iniciar, já era certo que o Maycon ia iniciar o jogo. O Renê ainda passa por um processo de retomada, ficou muito tempo parado. Ele não iria iniciar, mas atrapalha porque de acordo com o jogo eu poderia usá-lo em algum momento.

Bruno Xavier e Thiaguinho contratados
Entram naquela política do Andrés de trazer jogadores jovens e ir aos poucos dando oportunidades. Vão passar por um processo. Fizeram um ótimo campeonato pelo Nacional e têm tudo para se desenvolverem aqui.

Futebol