PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Três meses após ofensas racistas, senegalês muda disputa de título italiano

Kalidou Koulibaly comemora gol decisivo no duelo Juventus x Napoli no domingo - Giuseppe Maffia/NurPhoto via Getty Images
Kalidou Koulibaly comemora gol decisivo no duelo Juventus x Napoli no domingo Imagem: Giuseppe Maffia/NurPhoto via Getty Images

Do UOL, em São Paulo

23/04/2018 04h00

Em janeiro passado, o zagueiro Kalidou Koulibaly viveu o constrangimento em campo ao ser alvo de cantos racistas, vindos de um setor da torcida da Atalanta. Três meses depois, o jogador senegalês experimentou emoção oposta no último domingo, quando marcou o gol da vitória do Napoli por 1 a 0 sobre a Juventus, em resultado que pode mudar a reta final de disputa do Campeonato Italiano. 

A dramática vitória do Napoli fora de casa saiu com um gol de cabeça de Koulibaly aos 44 minutos do segundo tempo. Com o resultado em Turim, o Napoli chegou aos 84 pontos, um a menos em relação à líder Juventus, campeã das últimas seis edições do torneio. Restam quatro rodadas para o desfecho da disputa. 

Maradona homenageia Koulibaly nas redes sociais após vitória do Napoli - Instagram/reporudoção - Instagram/reporudoção
Imagem: Instagram/reporudoção

O dia de herói do defensor senegalês valeu até um afago do argentino Diego Maradona. Depois do jogo, o ídolo considerado o maior jogador da história do Napoli publicou no Instagram uma foto com a camisa de Koulibaly.  

Na próxima rodada, marcada para os dias 28 e 29 de abril, a Juventus encara o clássico contra a Inter de Milão, jogando como visitante. Por sua vez o Napoli enfrenta a Fiorentina, também fora de casa. Pela primeira vez nos últimos anos o time do veterano Gianluigi Buffon tem um rival na cola na reta final.

Koulibaly viveu repetição de casos de racismo

Em janeiro, a organização do campeonato puniu a Atalanta com um jogo sem torcida em razão dos cânticos de teor racista contra Koulibaly. Na oportunidade, o jogador do Napoli teve uma garrafa atirada em sua direção, chegou a reclamar com a arbitragem, mas a partida não foi paralisada.

Torcedores do Napoli exibem cartazes com o rosto de Kalidou Koulibaly após episódio de ofensas racistas ao jogador - AP Photo/Salvatore Laporta - AP Photo/Salvatore Laporta
Imagem: AP Photo/Salvatore Laporta

O episódio não foi o primeiro do gênero envolvendo o senegalês na Itália. Em 2016, uma partida entre Napoli e Lazio foi interrompida por cerca de cinco minutos em razão de ofensas direcionadas ao zagueiro, com origem na torcida do time de Roma.

Após aquele incidente, a torcida do Napoli abraçou seu jogador e promoveu uma bela homenagem em uma partida em casa, com o público exibindo cartazes com o rosto do senegalês. No entanto, em entrevista em 2017, Koulibaly afirmou que infelizmente precisou se habituar com reações racistas na Itália, inclusive vivendo na cidade de Nápoles, onde trabalha.

Sem Copa, Itália tem única liga equilibrada entre as grandes

Com o mês de abril no fim, a Itália desponta como a única liga com emoção na disputa pelo título, considerando as grandes do futebol europeu. Com a seleção local fora da Copa, os torcedores italianos terão pelo menos a chance de ver um desfecho de Série A interessante – além de contarem com a surpreendente Roma nas semifinais da Liga dos Campeões.

Nas demais ligas importantes do continente, o final já é conhecido. Bayern de Munique levou mais um título com folgas na Alemanha. Na França, roteiro semelhante, com um Paris Saint-Germain sem rivais à altura. Na Inglaterra, no campeonato tido o mais acirrado da Europa, o Manchester City foi campeão com antecipação e flerta com recorde de pontos.

De resto, sobra a definição na Espanha, onde o Barcelona tem vantagem de 12 pontos sobre o Atlético de Madri e pode confirmar o título de forma tranquila já na próxima rodada. 

Futebol