PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Vasco e São Paulo voltam a conversar por Diego Souza, e negócio esquenta

Bruno Braz e José Eduardo Martins*

Do UOL, no Rio de Janeiro (RJ) e em São Paulo (SP)

20/04/2018 17h55

Apesar do recuo na semana passada, provocado pelos altos vencimentos de Diego Souza, o Vasco da Gama não desistiu de ter o meia-atacante de volta a São Januário. O time carioca voltou a conversar com o São Paulo pela liberação por empréstimo do veterano, contratado ainda em janeiro deste ano por R$ 10 milhões, e as conversas foram retomadas por um vinculo até o fim da temporada com os salários sendo divididos.

A condução das conversas tem sido feita pelo presidente cruzmaltino, Alexandre Campello, e pelo vice de futebol, Fred Lopes. O Vasco conta a seu favor com o desejo do jogador em um dia retornar a São Januário e o fato de sua família morar no Rio de Janeiro. A princípio, os são-paulinos não pensavam em negociar. Até o presidente Carlos Augusto de Barros e Silva falou em projeto para recuperar o atleta. O clube paulista também espera ver os cariocas melhorarem as condições da oferta.

Diretor-executivo de futebol do Vasco, Paulo Pelaipe analisou a negociação. "Realmente é um grande atleta. Não só nós estamos torcendo para que tenha sucesso, mas o torcedor também está torcendo para que a gente consiga viabilizar esse negócio", declarou à Fox Sports.

Questionado sobre como avaliava a situação atual de Diego, preterido no São Paulo, ele foi meio confuso, mas deu a entender que pode vingar no Vasco:

"Temos que acreditar no atleta. Tenho certeza que ele pode render no clube que ele jogar. Não sei os motivos para não ter oportunidades no São Paulo, mas tenho certeza que o presidente Campello e o Fred Lopes, que estão tentando a negociação com o São Paulo... Tenho certeza que ele vai jogar no Vasco e vai ajudar muito o Vasco".

Diego chegou ao Tricolor com status de estrela. Tinha a missão de substituir Lucas Pratto, artilheiro do clube paulista no ano passado e vendido ao River Plate, e o desejo de ser convocado para a Copa do Mundo de 2018. O que se viu em 17 partidas, no entanto, foi um jogador atuando em nível abaixo do que era mostrado com a camisa do Sport até 2017 e que estava nos planos de Tite para a seleção brasileira.

Até aqui, o camisa 9 marcou somente três gols. Começou como centroavante, mas com a saída de Dorival Júnior declarou que gostaria de jogar um pouco mais recuado. O atual técnico, Diego Aguirre, não se empolgou com o atleta. Ainda assim, resolveu dar chance a ele na última quinta-feira, quando o time acabou eliminado da Copa do Brasil para o Atlético-PR. Diego também participou da queda para o Corinthians no Campeonato Paulista, inclusive perdendo sua cobrança na decisão por pênaltis.

No Vasco, Diego foi campeão da Copa do Brasil de 2011 e saiu após a Copa Libertadores da América de 2012, quando ficou marcado por perder gol em contra-ataque cara a cara com Cássio, no Pacaembu, também contra o Corinthians. Os cruz-maltinos sentem a necessidade de ter um reforço experiente para um time tomado por jovens e que até aqui soma apenas um ponto na fase de grupos da Libertadores. Na quinta, a equipe foi goleada na Argentina pelo Racing por 4 a 0.

Nesta sexta-feira, apenas os reservas do São Paulo treinaram no CT da Barra Funda. E Diego, que jogou 32 minutos contra o Atlético-PR, não participou do trabalho. O clube paulista informou que foi uma decisão da comissão técnica, mas que não tem relação com qualquer possibilidade de negócio.

*Atualizada às 19h49

Futebol