PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Polícia conclui inquérito: Warley foi vítima de tentativa de latrocínio

Inquérito policial do crime contra o ex-jogador Warley - Polícia Civil da Paraíba - Polícia Civil da Paraíba
Imagem: Polícia Civil da Paraíba

Marcello De Vico

Do UOL, em Santos (SP)

27/02/2018 13h25

O ex-jogador de Palmeiras, São Paulo e seleção brasileira e hoje gerente de futebol do Botafogo-PB, Warley, foi vítima de tentativa de latrocínio em episódio ocorrido na madrugada do dia 26 de janeiro, em João Pessoa (PB). Esta foi a conclusão da investigação realizada pela Polícia Civil da Paraíba, que irá indiciar o acusado – o travesti Victor Coelho da Silva.

O UOL Esporte teve acesso ao inquérito concluído por Diego Garcia, delegado de Crimes Contra o Patrimônio. Segundo o documento, a versão do suspeito, que assume o nome social de Victória, é verdadeira em algumas partes.

No depoimento, Victor contou que teria roubado o celular de Warley porque ele não havia pago o programa sexual combinado anteriormente. Porém, o delegado ressalta que as agressões feitas com arma branca foram bastante graves e aconteceram num ‘segundo evento’, quando o ex-jogador já havia reavido o celular que, então, foi novamente tomado pelo travesti.

“Em razão da ação violenta perpetrada no segundo momento, quando a vítima, já tendo reavido seu bem, é abordada pelo mesmo que lhe desfere golpes de arma branca e subtrai novamente o aparelho celular, procedo ao indiciamento do acusado”, conclui o inquérito.

Victor foi preso no dia 30 de janeiro, mas já está solto e responderá pelo crime em liberdade. Enquadrado no parágrafo 3º do art. 157 do Código Penal, ele pode pegar uma pena de sete a quinze anos de reclusão.

Versões distintas

Victor negou que tenha sido o autor da agressão à vítima e disse que Warley acabou provocando, acidentalmente, o ferimento nele mesmo. Ele ainda acusou o ex-atacante de não ter pago um programa sexual que teria feito com ele na noite do crime.

O travesti foi conduzido à delegacia no dia 30 de janeiro e admitiu aos policiais que estava com o celular da vítima. Após ter sido ouvido pela Polícia Civil, ele foi preso e autuado em flagrante pelos crimes de tentativa de latrocínio e agressão. Em seguida, foi solto e responderá pelo crime em liberdade.

Já Warley, em sua versão, diz que teve o celular roubado no momento em que seguia de carro para casa e foi atingido depois que desceu do veículo para tentar recuperar o objeto. Ferido, Warley seguiu até a casa de um amigo para pedir socorro e em seguida foi levado a um hospital.

O ex-jogador deu entrada com dois ferimentos no pulmão e chegou a ser transferido de hospital. Recebeu alta cinco dias depois de ser internado e hoje segue trabalhando normalmente como gerente de futebol do Botafogo-PB.

Futebol