PUBLICIDADE
Topo

Futebol

CR7 diz que sabia desde criança que era especial e se diverte com apelido

Pierre-Philippe Marcou/AFP
Imagem: Pierre-Philippe Marcou/AFP

Do UOL, em São Paulo

26/02/2018 10h03

Cristiano Ronaldo conquistou sua primeira Bola de Ouro aos 23 anos, mas desde pequeno sabia que era especial. Em entrevista ao canal do Youtube “Desimpedidos”, o português disse que sentia na infância que era capaz de fazer coisas que seus colegas não conseguiam.

“Desde o começo, sabia que era uma criança especial. Treinava com meus companheiros e sentia que era melhor, porque fazia coisas que eles não conseguiam. Mas saber o momento que vai ganhar uma Bola de Ouro é muito difícil”.

A certeza de que poderia conquistar uma Bola de Ouro, contudo, surgiu nos tempos de Manchester United. Pelo clube inglês, o português conquistou o Campeonato Inglês, a Liga dos Campeões e a sonhada premiação de melhor jogador do mundo pela primeira vez.

“Joguei no Sporting, depois no Manchester United e aí eu senti: “jogo ao lado dos melhores do mundo, contra os melhores do mundo, e ainda assim consigo me destacar”. E comecei a pensar que talvez pudesse ganhar uma Bola de Ouro”, explicou.

O desejo pela perfeição e o estilo em campo fez com que Cristiano Ronaldo ganhasse nas redes sociais o apelido de “robozão”. O português, contudo, diz não se incomodar em ser chamado assim. “Conheço, sim (o apelido). E o do meu filho é ‘robozinho’”, disse rindo. “Não tem problema nenhum. Robozão tem mobilidade”.

Portugal não é favorito na Copa do Mundo

Mesmo sendo o atual campeão da Eurocopa, Cristiano Ronaldo vê Portugal correndo por fora na Copa do Mundo. O atacante apontou Alemanha, Argentina, Brasil e Espanha como favoritas para ficar com o título.

“Não somos favoritos. Temos que ser honestos e ter a humildade de entender que, teoricamente, há times com mais nomes: Brasil, Espanha, Alemanha, Argentina. Mas no futebol tudo é possível. Vamos tentar passar pela fase de grupos, temos um jogo muito difícil contra a Espanha. A partir daí, não sabemos o que vai acontecer”.

Portugal está no Grupo B da Copa do Mundo. Além da Espanha, a seleção de Cristiano Ronaldo terá pela frente Irã e Marrocos.

Confira outros trechos da entrevista de Cristiano Ronaldo:

Não assisto futebol em casa

“Quando estou em casa, controlo a minha vida, vejo o que quero, faço o que quero. Quando estou em casa, não vejo futebol. Muito raro, só se jogar um time que tem um amigo meu, ou um jogo bom, clássico. Gosto de ver outras coisas: filmes, séries, documentários”.

Autoestima é importante

“Tirando esse negócio de ser marrento, acho que você tem que conquistar a si. Se você não gosta de você... Tem que ter autoestima, se valorizar. Não vou dizer que sou o príncipe encantado, mas tudo somado, tem que gostar de você. Olho-me no espelho e gosto de me ver. Tem que ter autoestima, se não tem, é porque não gosta de ti”.

A final com o Grêmio

“Uma final é sempre 50-50, mas eu senti. Na Europa, é onde tem o melhor futebol, não vamos ser hipócritas e dizer que o futebol na China, Brasil, México, o futebol é melhor que na Europa. Não é. Na Europa estão os melhores jogadores do mundo.

Sei que no Brasil, porque eu acompanho, que a qualidade técnica é de primeira. Os brasileiros, tecnicamente, são muito bons. Mas não estão acostumados a jogar com um Barcelona, um Real Madrid.  Sabíamos que se jogássemos no nosso nível, ganharíamos a final. Sem menosprezar o adversário, porque o Grêmio é uma grande equipe, mas jogando no nosso nível, íamos ganhar. Sabíamos que a competividade é muito diferente”.

Ainda tem algum sonho no futebol?

“Sinceramente, acho que não. Tudo aquilo que eu sonhei, eu alcancei no futebol. Se me perguntasse se quero ganhar tudo de novo, óbvio. Mas se terminasse minha carreira hoje, encerraria orgulhoso. Jamais pensei que teria uma carreira tão bonita”.

Futebol