PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Para dar liberdade a Neymar, brasileiros do PSG querem Thiago Motta titular

Geoffroy Van Der Hasselt/AFP
Imagem: Geoffroy Van Der Hasselt/AFP

João Henrique Marques

Do UOL, em Paris

22/02/2018 04h00

No clã brasileiro (Thiago Silva, Marquinhos, Daniel Alves e Neymar) do Paris Saint-Germain é consenso que Thiago Motta precisa ser titular. Segundo apurou o UOL Esporte, a avaliação é de que o compatriota é o único primeiro volante do elenco confiável no ponto de vista defensivo. Eles consideram que com o volante em campo, Neymar teria mais liberdade dentro de campo para atacar.

A persistência do técnico Unai  Emery em pouco utilizar Thiago Motta recentemente é ponto de atrito do treinador com os brasileiros. A presença do jogador no duelo de volta contra o Real Madrid – time perdeu a ida por 3 a 1 - é encarada como primordial para os compatriotas.

No jogo de ida no Santiago Bernabéu, Unai Emery sequer relacionou Thiago Motta. O ato foi avaliado pelos brasileiros como uma tentativa do treinador de demonstrar poder no vestiário. Já no último jogo do PSG, a vitória por 5 a 2 contra o Strasbourg, pelo Campeonato Francês, o volante começou a partida no banco de reservas e foi a campo nos 30 minutos finais.

O técnico do PSG alega que Thiago Motta ainda não tem condições físicas ideais. O brasileiro foi o titular do time no início da temporada, mas sofreu lesão no menisco do joelho direito, e ficou afastado por quase dois meses entre outubro e dezembro.

No período, o time viveu o pior momento na temporada com as derrotas em sequência por 2 a 1 para o Strasbourg e 3 a 1 para o Bayern de Munique. Na derrota para o Lyon por 2 a 1 também esteve ausente. Thiago Motta está invicto na temporada após 17 jogos, com 15 vitorias e 2 empates.

Protecionismo a Neymar

A falta dura em Neymar passa impune pelo árbitro. Mas não para Thiago Motta. O volante brasileiro empurra o adversário, faz cara feia e xinga. No Paris Saint-Germain, o "jogo sujo" – expressão usada para quem se utiliza da catimba em campo – é comandado pelo jogador.

Além da voz ativa em campo, os brasileiros acreditam que taticamente a função defensiva de Thiago Motta à frente da grande área possibilita maior liberdade a Neymar em campo. O camisa 10 passaria somente a recompor o meio-campo pelo lado esquerdo e ser figura ainda mais temida para contra-ataques.

Sem Thiago Motta, o treinador Unai Emery utilizou opções mais ofensivas alternando os meias Julian Draxler – com Rabiot na função de primeiro volante - e Giovani Lo Celso como titulares. O argentino, por exemplo, começou o jogo contra o Real Madrid e teve atuação ruim. Recebeu cartão amarelo no primeiro tempo, fez o pênalti que originou o gol de empate e ouviu diversas broncas de Daniel Alves em campo.

Outro teste mais recente foi a entrada do francês Lassana Diarra, primeiro volante de origem, e contratação feita em janeiro a pedido de Unai Emery. O único reforço do mercado de inverno já indicava que Thiago Motta perdeu prestígio com o treinador.

Futebol