PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Em busca do time ideal, Palmeiras concentra dúvidas nas pontas do ataque

Scarpa conversa com Roger Machado antes de entrar em campo contra o Santos - Cesar Greco/Ag. Palmeiras/Divulgação
Scarpa conversa com Roger Machado antes de entrar em campo contra o Santos Imagem: Cesar Greco/Ag. Palmeiras/Divulgação

Danilo Lavieri

Do UOL, em São Paulo

20/02/2018 04h00

A "dor de cabeça boa" de Roger Machado no Palmeiras tem se concentrado nas pontas. Com várias opções para o mesmo setor, o comandante trabalha para achar uma solução e sabe que deixará fora do time ao menos um nome importante.

Nos últimos dois jogos, Alejandro Guerra ganhou uma chance e foi aprovado. Se não teve chance no início da temporada, o venezuelano desempenhou um bom futebol contra Linense e Ponte Preta e aumentou a lista da concorrência.

Guerra tenta passe durante duelo entre Ponte Preta e Palmeiras - Ale Cabral/AGIF - Ale Cabral/AGIF
Guerra tenta passe durante duelo entre Ponte Preta e Palmeiras
Imagem: Ale Cabral/AGIF

Em tese, ele está na parte de baixo da relação, atrás de Willian, o atual titular. O atacante foi escalado como 9 no último domingo pelo desfalque de Borja, mas já declarou que prefere atuar aberto. Até mesmo a diretoria alviverde entende que o melhor lugar para o Bigode é pela ponta. Ele foi o artilheiro da temporada no ano passado e começou o ano fazendo gols e dando assistências.

O terceiro concorrente é Gustavo Scarpa. A expectativa da torcida é que o reforço entre na sua melhor forma física e possa assumir o lugar entre os 11 que iniciam o jogo. Ele ainda não se destacou nas chances que teve, mas essa expectativa também é compartilhada pela comissão técnica.

O próprio atleta trocou o Fluminense pela Academia de Futebol e recusou propostas de São Paulo e Corinthians acreditando que teria boas chances de ser titular no Alviverde. Ainda corre por fora o cada vez menos usado Keno. Se teve destaque no fim do ano passado e no início desta temporada, o atacante está cada vez mais atrás na concorrência com seus colegas na hora de receber uma chance,

Do outro lado do campo, Dudu é o titular absoluto, mas ainda não repete as boas atuações do passado. O capitão tem tido dificuldades neste início da temporada, apesar da boa apresentação contra a Ponte Preta. Torcedores, inclusive, começam a questionar seu lugar cativo entre os 11 de Roger.

Se topar substituir o camisa 7, Roger, então, abriria espaço para mais um nome entre Guerra, Willian e Scarpa. Essa situação, no entanto, parece longe de acontecer pela confiança da comissão e da diretoria no seu atacante.

Futebol