PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Inter se inspira em Corinthians e Botafogo ao promover ex-auxiliar

 VINíCIUS COSTA/FUTURA PRESS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO
Imagem: VINíCIUS COSTA/FUTURA PRESS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

Jeremias Wernek

Do UOL, em Porto Alegre

26/11/2017 04h00

Fábio Carille no Corinthians, Jair Ventura no Botafogo e até Zé Ricardo, antes no Flamengo e agora Vasco. Essas são as inspirações do Internacional para apostar em Odair Hellmann como seu treinador no ano que vem. Antigo auxiliar técnico, o novo técnico segue a lógica de buscar nomes novos com conhecimento técnico e até mesmo o custo menor.

Odair, 40 anos, está no Inter desde 2009. E ocupava o cargo de auxiliar nos últimos cinco anos.

"Conheço ele há anos, trabalhamos junto na base. Está no profissional do Inter desde 2013 e trabalhou com Dunga, Abel, Diego Aguirre e diversos outros. Aprendeu muita coisa, muita coisa boa e o que não fazer. E acho que ele está preparado. Vinha se preparando", disse Roberto Melo, vice de futebol do Inter.

Neste ano, Odair Hellmann treinou o Inter em quatro jogos. Um logo depois da demissão de Antonio Carlos Zago e mais três após a saída de Guto Ferreira. O método de trabalho e os resultados ajudaram a reforçar uma ideia que vinha crescendo no Beira-Rio: promover o auxiliar técnico que tem ótima relação com o elenco e respeito dos atletas.

"O Odair é identificado com o clube, vem se preparando há muito tempo. No dia a dia a gente vê as qualidades dele. Um profissional que tem total respeito dos atletas. Os treinadores que estão em mais evidência não se encaixam nesse conceito de cascudo. O treinador campeão brasileiro, o Carille, era auxiliar. O Jair era auxiliar há pouco tempo. O Zé Ricardo vem com destaque e há pouco era auxiliar. Rotular... O que interessa é a convicção de que pode fazer um bom trabalho no dia a dia", comentou Melo.

O grupo de jogadores já havia sinalizado que, se consultado, votaria a favor da permanência de Odair. A voz dos atletas não foi ouvida diretamente, mas as manifestações públicas ajudaram.

"É um cara que merece, trabalha muito e é simples. Aqui no Brasil é difícil escolher treinador. Mas a safra mais nova pode ter experiência. O Carille foi assim, uma aposta que deu certo", lembrou Edenilson. "O Odair é excelente treinador, tem ótimo gerenciamento do grupo. Esses são os dois pilares. E sair de férias já sabendo quem será o treinador é importante", elogiou Uendel.

Vice-campeão da Série B, o Internacional entra de férias. Se reapresenta no dia 2 de janeiro.

Futebol