PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Pai de Arana vê título da Arena após ficar em portaria na conquista de 2015

Pai de Arana celebra em Itaquera; nos dois últimos títulos ele trabalhava como porteiro - Acervo pessoal
Pai de Arana celebra em Itaquera; nos dois últimos títulos ele trabalhava como porteiro Imagem: Acervo pessoal

Diego Salgado

Do UOL, em São Paulo

17/11/2017 04h00

Todas as atenções estavam voltadas para o gramado na Arena Corinthians na última quarta-feira. Nele, o time alvinegro garantiu a conquista do hepta brasileiro ao derrotar o Fluminense por 3 a 1. Na arquibancada, longe dos holofotes, uma sonho se realizava depois de uma longa espera: Augusto, pai do lateral esquerdo Guilherme Arana, conseguiu ver um título do filho no estádio.

A situação é bem diferente da vivida por ele nas últimas duas conquistas do Corinthians. Nos dias em que o clube se sagrou campeão brasileiro de 2015 e paulista de 2017, Augusto estava trabalhando como porteiro de um prédio, função que desempenhou até setembro passado [relembre aqui]. 

A profissão fez Augusto acompanhar as partidas decisivas por meio de uma televisão pequena, bem longe dos estádios - o Corinthians empatou com o Vasco em São Januário há dois anos e levou a melhor sobre a Ponte Preta em Itaquera, no Estadual deste ano.

No primeiro título, Arana ainda era uma promessa no seu primeiro ano como profissional e ficou no banco de reservas como opção para o técnico Tite. Em 2017, o lateral, aos 20 anos, foi um dos maiores destaques do Corinthians. Titular e alvo de times europeus, o atleta deu assistências e esbanjou categoria em campo.

No Paulistão, por exemplo, Augusto trabalhou até as 19h. O jogo marcado pelo título corintiano acabou às 18h. Ele, então, foi para casa começar o churrasco da festa em família. Lá, aguardou o restante da turma e o próprio Arana. "Na minha profissão não tinha essa de sábado, não tinha domingo. Tinha de trabalhar e já era', disse.

Além de ver o filho ser campeão, Augusto ainda pôde conversar com Zé Maria, um dos maiores ídolos do Corinthians. O ex-lateral direito alvinegro estava no mesmo camarote dele na Arena. Depois de viver as duas experiências, o pai de Arana classificou a noite como "perfeita".

Antes, porém, ele sofreu ao lado de outros 45 mil torcedores corintianos presentes ao estádio. Atrás no placar, o Corinthians precisou virar a partida para, enfim, assegurar o título brasileiro. Depois de o zagueiro Henrique abrir o placar no começo da partida, o time de Fábio Carille conseguiu a virada com dois gols de Jô e um de Jadson, todos no segundo tempo.

"O jogo começou com drama e no decorrer do tempo a ansiedade se transformou em um sorriso do tamanho do mundo. Eu pude soltar o grito de campeão no estádio", relembrou Augusto.

Futebol