PUBLICIDADE
Topo

Futebol

MP suspende organizadas do Palmeiras após ataque a van no CT

Protesto da torcida Mancha Alviverde contra o Palmeiras - José Edgar de Matos/UOL
Protesto da torcida Mancha Alviverde contra o Palmeiras Imagem: José Edgar de Matos/UOL

Danilo Lavieri

Do UOL, em São Paulo

17/11/2017 15h58

O Ministério Público voltou a suspender as torcidas organizadas do Palmeiras dos estádios. A medida será oficializada nesta sexta-feira e já valerá, pelo menos, até o fim do Brasileirão.

Na prática, a punição valerá apenas por um jogo, contra o Botafogo, mas serve como resposta aos atos de depredação cometidos em um protesto no domingo passado, na porta da Academia de Futebol. 

Na ocasião, a delegação saia de seu Centro de Treinamento com destino ao estádio e viu uma van com jogadores e funcionários ter o seu vidro quebrado. Funcionários e jogadores do se machucaram. O presidente do Palmeiras, Maurício Galiotte, publicou nota de repreensão e pediu a ação do poder público.

Imediatamente, o Ministério Público entrou no caso e contou com a ajuda da investigação da Polícia Civil. Em um primeiro momento, os organizados afirmaram que não conheciam o responsável pelo vidro quebrado e acrescentaram que ele não era afiliado de nenhuma torcida.

Em agosto, as organizadas entraram em acordo com o poder público para que pudessem voltar a levar instrumentos, faixas e bandeirões para os estádios. A medida tinha uma cartilha de comportamento como contrapartida. 

Na ocasião, as organizadas corintianas já não tinham aderido ao pacto e algumas santistas também não se enquadraram. Ao menos por enquanto, as organizadas são-paulinas seguem liberadas.

Na noite nesta sexta-feira, o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) deferiu a decisão. Em nota, o tribunal afirmou que o Presidente do STJD Ronaldo Placente "deferiu a Medida Cautelar e afirmou que o pleito é de interesse social, pois visa garantir a segurança dos torcedores, atletas, dirigentes entre outros envolvidos no evento".

Futebol