PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Cruzeiro programa novas vendas para quitar atrasados e ter caixa em 2018

De saída? Vender Rafael Sóbis é uma das alternativas para Cruzeiro aliviar o caixa - Washington Alves/Light Press/Cruzeiro
De saída? Vender Rafael Sóbis é uma das alternativas para Cruzeiro aliviar o caixa Imagem: Washington Alves/Light Press/Cruzeiro

Thiago Fernandes

Do UOL, em Belo Horizonte

17/11/2017 04h00

O Cruzeiro está de olho em 2018. A venda de Diogo Barbosa para o Palmeiras foi pensando em iniciar a temporada sem problemas com as finanças. E para que isso aconteça, o time já estuda outros acordos. A ida do lateral esquerdo para a Academia de Futebol por 1,5 milhão de euros (R$ 5,72 milhões) foi apenas a primeira. O clube ainda cogita a possibilidade de se desfazer de outros nomes. Rafael Sóbis e Murilo, por exemplo, são tidos como negociáveis.

A ideia é quitar os salários atrasados com elenco e comissão técnica. Os vencimentos de outubro ainda não foram pagos. Não é a primeira vez que o clube enfrenta um problema financeiro deste tipo na temporada. O mesmo aconteceu às vésperas da final da Copa do Brasil, diante do Flamengo, mas o débito foi quitado logo após a conquista do título.

Para evitar novos problemas desta natureza e também para iniciar a próxima temporada com o caixa cheio, os mineiros não descartam novas negociações.

Na mira do Querétaro, do México, e com um dos maiores salários do elenco, Rafael Sóbis pode deixar o clube em breve. O atacante tem uma proposta de 2,5 milhões de dólares (R$ 8,11 mi) sobre a mesa e pode deixar a Toca da Raposa II em janeiro de 2018, quando reabre a janela mexicana.

A nova diretoria já prometeu a busca por um substituto à altura do jogador de 32 anos. O Cruzeiro ainda se livraria de pagar R$ 500 mil mensais ao artilheiro da atual edição da Copa do Brasil. A Raposa detém 100% dos direitos do atleta, mas ainda deve US$ 2 milhões de sua contratação ao Tigres, do México.

Murilo é outro jogador que pode deixar a Toca da Raposa em breve. Itair Machado revelou a recusa de ofertas de 4 milhões de euros (R$ 15,26 mi) de clubes italianos. A ideia é receber no mínimo o dobro deste montante - 8 milhões de euros - para liberá-lo em definitivo.

Dono de 80% dos direitos econômicos do zagueiro de 20 anos, os mineiros receberiam 6 mi de euros por um acordo que atenda às exigências de Wagner Pires de Sá e Itair Machado.

O UOL Esporte apurou com um agente que tem boa relação no futebol italiano que o atleta é tido como uma promessa no país e pode receber novas ofertas a partir de janeiro de 2018. A ideia é levá-lo para equipes da liga local na janela de inverno da Europa.

Futebol