PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Folgas, rachões, "prata da casa" barrado... Levir ainda balança no Santos

Diretoria "coleciona" insatisfações com o trabalho do técnico Levir Culpi - Ivan Storti/Santos
Diretoria "coleciona" insatisfações com o trabalho do técnico Levir Culpi Imagem: Ivan Storti/Santos

Samir Carvalho

Do UOL, em Santos (SP)

24/10/2017 04h00

Levir Culpi foi demitido e readmitido a pedido dos jogadores em questão de horas na semana passada, mas isso não quer dizer que esteja confortável no Santos. Pelo contrário. Muito criticado, o treinador segue “balançando” no cargo e só permaneceu no comando do time pois o presidente Modesto Roma costuma ceder à pressão do jogadores.

O UOL Esporte apurou que a diretoria santista marcou uma reunião com Levir Culpi nesta quarta-feira, quando o elenco santista volta aos trabalhos após dois dias de descanso. O “folgão”, como o período foi chamado por alguns dirigentes nos bastidores, é o principal motivo do encontro. A cúpula santista, inicialmente, só queria um dia de folga para os jogadores, mas Levir “bateu o pé” e liberou os atletas também na terça-feira.

Modesto Roma não planeja uma nova demissão. Isso só aconteceria, aliás, se as coisas fugissem do controle na reunião, como ocorreu com Ederson Moreira em 2015. Na época, o presidente se reuniu com o treinador apenas para corrigir alguns pontos, mas o então comandante do time não aceitou as correções e o entrevero culminou na ruptura.

A diretoria santista também reclama do excesso de “rachões”, como são chamados os treinos recreativos no futebol. Para os cartolas, Levir deveria apostar mais em treinos táticos para corrigir falhas de equipe. Adepto de muitos treinamentos coletivos, o treinador gosta de mesclar também trabalhos técnico e físico em campo reduzido. Nessas atividades, ele executa cruzamentos, chutes a gol e opõe jogadores de ataque contra defesa. Na visão dos críticos, as rotinas poderiam ser melhor elaboradas.

A “distância” do treinador das categorias de base também incomoda. Diferentemente de Dorival Júnior, Levir não costuma acompanhar os jogos dos futuros “Meninos da Vila”. No último sábado ele abriu uma exceção e marcou presença em um jogo do sub 17, o que causou espanto em muitos funcionários do clube.

O problema em relação aos “Meninos da Vila” também se encontra no elenco profissional. Alguns dirigentes não entendem o motivo de Levir não utilizar o jovem Arthur Gomes, atleta agenciado por Neymar pai e revelado nas categorias de base do clube.

A diretoria sempre viu Arthur Gomes como uma das boas promessas do clube e contesta oque Thiago Ribeiro, Vladimir Hernández e até Lucas Crispim estejam na frente do jovem atacante na preferência de Levir. Somando os minutos em campo, o “prata da casa” não completou dois jogos com o treinador no comando.

Em resumo, a diretoria do Santos pretende cobrar mais ambição de Levir Culpi. Eles acreditam que o treinador poderia ser mais vibrante em busca do título brasileiro. O empate contra a Ponte Preta há três rodadas, em Campinas, foi o estopim para que a diretoria definisse a sua tese de que ele não está empolgado com o trabalho.

Na ocasião, o treinador terminou a partida sem fazer nenhuma alteração, mesmo a sua equipe jogando com um jogador a mais nos minutos finais do jogo. Afônico, o técnico também quase não se comunicou com os atletas durante a partida. 

Por conta disso, o clima entre Levir Culpi e dirigentes não é dos melhores no Santos. Se a diretoria não aprovou as folgas nesta semana, Levir também não gostou da interferência da diretoria em relação ao seu trabalho no vestiário logo após a vitória contra o Atlético-GO. O treinador até demonstrou irritação com a sugestão de que o elenco deveria voltar aos treinos nesta terça-feira.

Levir Culpi tem contrato com o Santos até o fim de dezembro deste ano e não permanecerá no cargo. Mesmo que o presidente Modesto Roma seja reeleito nas eleições do clube em dezembro, o treinador deixará a Vila Belmiro. A cúpula santista, inclusive, já possui uma lista de nomes para substituir Levir.

Fabiano Soares, do Atlético-PR, Roger Machado, desempregado, Jair Ventura, do Botafogo, Vagner Mancini, do Vitória, e Claudinei Oliveira, do Avaí, fazem parte da lista de possíveis técnicos do Santos para 2018.

O UOL entrou em contato com a assessoria de imprensa de Levir Culpi e, até o fechamento desta reportagem, não recebeu uma posição do treinador em relação ao tema.

Futebol