PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Chateado, Heber leva advogado ao campo e "legitima campeonato" após ofensas

Heber Roberto Lopes teve boa atuação no confronto entre Corinthians e Grêmio - Ale Cabral/AGIF
Heber Roberto Lopes teve boa atuação no confronto entre Corinthians e Grêmio Imagem: Ale Cabral/AGIF

Diego Salgado

Do UOL, em São Paulo

19/10/2017 04h00

O dia foi longo para o árbitro Heber Roberto Lopes. Responsável pelo apito no empate sem gols entre Corinthians e Grêmio, o juiz de 45 anos teve um dia atípico depois de sofrer fortes críticas do presidente do Grêmio, Romildo Bolzan, na véspera da partida. 

De acordo com pessoas que estiveram próximas a Heber na última quarta-feira, o experiente árbitro teve um comportamento diferente do habitual nas horas que antecederam o jogo e contou com a presença do advogado durante o dia - Johnny Barros de Oliveira era o quarto árbitro do jogo e já trabalhou seis vezes com Heber em 2017.

"Ele é sempre muito comunicativo e hoje estava diferente. Ele estava muito chateado com a situação e ficou tranquilo que tudo correu bem. Era importante para legitimar o campeonato. Ele conseguiu", disse o ex-assistente Ednilson Corona, que era o chefe de arbitragem da partida.

Ao fim da decisão entre líderes do Campeonato Brasileiro, o próprio Heber se mostrou aliviado em ter realizado um trabalho sem lances polêmicos.

"Foi um fardo que tiramos, mas a vida segue. Fim de semana tem rodada, arbitragem sempre está em um momento difícil, mas temos pessoas que nos dão suporte. Graças a Deus eu tenho uma experiência no futebol que proporcionou que eu ficasse tranquilo", disse o árbitro.

De acordo com ele, até mesmo os atletas o ajudaram durante os 90 minutos. "Os jogadores também colaboraram. Muitos jogadores na partida me questionaram: "poxa, uma situação diferente". Mas vida que segue. Obrigado pela oportunidade de falar também. Vamos seguir a vida", completou.

Segundo Heber, foi preciso separar as coisas para trabalhar no embate entre corintianos e gremistas. A ideia agora é tomar as decisões jurídicas a partir desta quinta-feira. O advogado, por sua vez, disse qual será o plano,

"Alguém precisa ser responsabilizado. Vamos estudar e procurar o responsável por isso. Não sabemos se existe o áudio, ele nega, mas vamos buscá-lo", disse Johnny.

A polêmica entre Romildo e Heber começou na última terça-feira. O presidente do Grêmio acusou o árbitro de ser caseiro e criticou a sua escalação para o confronto entre os dois primeiros colocados do Brasileirão. O dirigente usou a frase "careca vagabundo paranaense", em entrevista à ESPN. 

Ao fim do jogo, Romildo elogiou a atuação do árbitro. “O Heber foi excepcionalmente bem. Bem. Ele foi discreto e teve bom diagnóstico e isso é que serve para arbitragem. Mas as situações de antes nos faziam alegar dúvidas e suspeições”, disse o presidente do clube gaúcho.

Futebol