PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Lateral brasileiro quase deixou o futebol, mas Zidane o convenceu a seguir

Divulgação
Imagem: Divulgação

Vanderson Pimentel

Do UOL, em São Paulo

25/08/2017 04h00

Abner é uma promessa do futebol brasileiro desde 2013, quando atuava na seleção brasileira sub-17 e chegou a ser alvo de clubes europeus ainda jovem. No entanto, as expectativas sobre o seu futuro esbarravam diretamente em outro problema que começou na mesma época: graves lesões no joelho.

Quatro anos depois, o lateral-esquerdo de agora 21 anos acertou um empréstimo ao Estoril, time de Portugal, em busca de ritmo e quem sabe voltar ao Real Madrid e despontar de vez como o substituto de Marcelo, após três cirurgias.

Natural de Londrina, o jogador, que começou sua carreira no PSTC, foi para o Coritiba aos 15 anos e despontou rapidamente na equipe. Dois anos depois, o jogador estreou profissionalmente em setembro de 2013, em um empate por 2 a 2 contra o Goiás e um mês depois, foi convocado para o Mundial Sub-17. E foi justamente na competição que os problemas físicos começaram na vida do jogador. Ainda na fase de grupos, o atleta deixou o gramado aos 11 minutos do primeiro tempo após lesionar o joelho esquerdo, abandonando a competição, em que o Brasil foi eliminado pelo México nas quartas de final.

Apesar da longa recuperação, o jogador, que já havia chamado atenção de times como a Roma, acertou sua ida ao Real Madrid Castilla no segundo semestre de 2014. Mas seu início na equipe B merengue não durou mais do que dois jogos no início da temporada, após uma nova lesão no mesmo joelho. Um ano depois, ele teve que fazer uma nova cirurgia após se machucar durante os treinos da equipe.

Zidane aconselha Abner - Divulgação - Divulgação
Imagem: Divulgação

Zidane impediu aposentadoria precoce

Com três lesões consecutivas no mesmo local, Abner pensou em largar a carreira. No entanto, o jogador admitiu em entrevista ao UOL Esporte que Zinedine Zidane, seu técnico no Real Madrid Castilla, o impediu de se aposentar precocemente. “Quando aconteceu a minha segunda lesão para a terceira, eu cheguei a pensar em parar, e ele me chamou no escritório dele e conversou comigo, falou para eu não deixar o futebol, que eu era muito jovem e tinha tudo para ser um grande jogador. Ele foi uma pessoa muito importante".

Para não sofrer mais com o recorrente problema, Abner contratou um preparador físico e um fisioterapeuta para reforçar o joelho e evitar novas lesões. Na última temporada, o jogador atuou em mais de 20 partidas pela equipe pela terceira divisão espanhola.

Abner e Marcelo - Reprodução/Instagram - Reprodução/Instagram
Imagem: Reprodução/Instagram

Para voltar a jogar em alto nível e ainda sem chances de concorrer por uma vaga com Marcelo, a quem considera ídolo e melhor lateral do mundo, e também com o recém-contratado Theo Hernández, Abner decidiu que era hora deixar o clube espanhol temporariamente. "Conversei com o Zidane e ele falou que vai estar me observando. Existe essa possibilidade de eu voltar, e se eu fizer uma grande temporada, já posso voltar diretamente para o time profissional.”

Novos ares e volta ao Real

“Eu fiquei quase três anos parado, então eu tenho esse rótulo de jogador lesionado. Para eu tirar esse rótulo, eu preciso ter uma sequência de jogos e tenho que estar jogando num grande clube”, disse o jogador, que seguirá o mesmo caminho de atletas como Marcos Llorente, Jesús Vallejo e Borja Mayoral, que recentemente voltaram de empréstimo e estão na equipe comandada pelo técnico francês. "Fazendo o seu trabalho, consequentemente você será lembrado. Talvez não seja só pelo Real Madrid, posso ser lembrado por outros grandes clubes".

Abner é emprestado ao Estoril - Divulgação/Estoril - Divulgação/Estoril
Imagem: Divulgação/Estoril

Uma volta ao futebol brasileiro também foi cogitada, mas pela adaptação ao futebol europeu, Abner espera ter no Estoril, clube médio do Campeonato Português, o mesmo sucesso de jogadores como Bruno Cesar (ex-Corinthians), Mattheus (ex-Flamengo) e Evandro (ex-Palmeiras). "Falei com alguns dos companheiros que já jogaram em Portugal e todos me falaram muito bem do campeonato, que é muito competitivo e que será bom para mim. Sei que o futebol é também dinâmico e muito tático”.

Coração alvinegro

E se voltar ao Brasil um dia? Pela gratidão no início de sua carreira, Abner diz que pretende jogar no Coritiba novamente, mas além dele, outro clube também está nos seus desejos. “Na minha cabeça também gostaria de jogar no Santos. É meu clube de infância”.

Futebol