PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Cruzeiro aceita oferta por Ábila, se livra de dívida e fecha com Messidoro

Ramón Ábila deixa o Cruzeiro para fechar com o Boca Juniors - © Washington Alves/Light Press/Cruzeiro
Ramón Ábila deixa o Cruzeiro para fechar com o Boca Juniors Imagem: © Washington Alves/Light Press/Cruzeiro

Enrico Bruno e Thiago Fernandes

Do UOL, em Belo Horizonte

18/07/2017 18h32

O Cruzeiro aceitou a proposta apresentada pelo Boca Juniors por Ramón Ábila. O atacante será liberado em troca do pagamento da dívida de 1,5 milhão de dólares (R$ 4,7 milhões) com o Huracán, antigo clube de Ábila, e o empréstimo do meia Messidoro, que estava no Sport Boys e chega como reforço para o elenco de Mano Menezes. 

Argentino, com 20 anos de idade, Messidoro foi revelado pelo Boca e estava emprestado ao Sport Boys. Pelo time boliviano, ele jogou a primeira fase da Copa Libertadores e chegou a marcar contra o Atlético-MG. O meia chega por empréstimo até o fim de 2018, quando pode ser adquirido de forma definitiva por um valor fixado. 

Já Ábila dá adeus ao Cruzeiro após cerca de um ano. Além do fim do débito celeste com o Huracán, antigo clube do centroavante de 27 anos, a Raposa seguirá com um percentual os direitos do atacante. Os números não foram revelados.

O Huracán, que cobrava o Cruzeiro pela dívida, concordou em permanecer como parceiro do Boca Juniors após o negócio envolvendo o atacante. O modesto clube, portanto, permanece com 50% dos direitos econômicos do atleta.

Artilheiro do Cruzeiro na temporada, com 14 gols em 32 partidas, Ramón Ábila nunca foi unanimidade nos bastidores da Toca da Raposa II. Não é à toa que foi reserva de Rafael Sóbis desde a chegada de Mano Menezes, em julho do ano passado.

Em 2017, o centroavante perdeu ainda mais espaço na equipe mineira. No primeiro semestre, ele era o suplente imediato do ataque. Contudo, sem contar com a predileção da comissão técnica, tornou-se a quarta opção do setor. Rafael Sóbis, Sassá e Rafael Marques ficaram à frente do gringo.

O acordo entre Cruzeiro e Boca Juniors foi alinhavado entre as duas diretorias no decorrer desta semana. A princípio, os mineiros queriam Marcelo Torres e Messidoro, além de pedir o pagamento da dívida junto ao Huracán. Como Torres se recusou a mudar para o Brasil nesta altura da carreira, os mineiros aceitaram a oferta do Boca de ter um percentual dos direitos do atleta em uma transferência futura.

Futebol