PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Atlético-MG foi rápido e garantiu Valdívia. Queda de Zago travaria acerto

Então técnico do Inter, Antônio Carlos Zago foi responsável pela saída de Valdívia - Ricardo Duarte/Divulgação Inter
Então técnico do Inter, Antônio Carlos Zago foi responsável pela saída de Valdívia Imagem: Ricardo Duarte/Divulgação Inter

Victor Martins

Do UOL, em Belo Horizonte

31/05/2017 11h00

Há uma semana Valdívia chegava a Belo Horizonte, para fazer exames médicos e assinar contrato com o Atlético-MG. Três dias depois de o meia chegar à Cidade do Galo, o Internacional foi derrotado pelo Paysandu, pela 3ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série B. O resultado da partida disputada no Mangueirão, em Belém, custou caro para o técnico Antônio Carlos Zago.

O treinador foi demitido no dia seguinte. Pouco mais de 48 horas após demitir Zago, a direção colorada acertou com Guto Ferreira, que estava no Bahia. E é aí que entra o Atlético-MG na história. A percepção dos dirigentes atleticanos é de Valdívia dificilmente seria emprestado pelo Internacional após a troca de treinadores.

No entendimento dos dirigentes atleticanos, o acerto com o clube gaúcho e com Valdívia aconteceu no momento certo. Algo que o próprio jogador comentou na entrevista de apresentação na Cidade do Galo. O meia revelou que não estava atuando no Internacional por decisão de Antônio Carlos Zago.

Atlético-MG contratou Valdívia quatro dias antes da queda de Zago, então técnico do Internacional - Bruno Cantini/Clube Atlético Mineiro - Bruno Cantini/Clube Atlético Mineiro
Atlético-MG contratou Valdívia quatro dias antes da queda de Zago, então técnico do Internacional
Imagem: Bruno Cantini/Clube Atlético Mineiro
“Bom, eu acho que a vida de jogador é feita de momentos. Como já fiquei cinco anos no Inter, um ano e meio na base e três anos e meio no profissional, é claro que às vezes você não tem a mesma confiança, não tem a mesma dedicação. E eu não gosto de ser um jogador acomodado. Lá eu não estava jogando, não era porque eu não queria, não é porque não estava afim de jogar. Era opção do treinador”, esclareceu Valdívia, que então pediu para deixar o clube gaúcho.

“Naquele momento falei com o meu empresário que gostaria de sair. Achei o momento bom e graças a Deus teve o Galo. Será uma ótima oportunidade de retomar o meu futebol”.

A troca de clube é tratada pelo jogador como um recomeço. Valdívia quer deixar de lado o início de ano apagado no Internacional. Sempre demonstrando carinho pela equipe gaúcha e, principalmente, pela torcida, o meia garante que neste momento o pensamento está apenas em ir bem com a camisa do Atlético.

“Sobre a torcida do Inter eu tenho carinho enorme, respeito muito. Foram três anos e meio de alegrias para mim. Foi o Inter que me deu a estrutura para eu ser o Valdívia que sou hoje. Mas agora é só pensar no Galo, pensar em ir bem aqui, no recomeço, uma nova etapa para mim e chance de mostrar futebol”.

Série B não pesou na decisão de sair do Inter

Um dos gigantes do futebol brasileiro, o Internacional vive uma temporada diferente em 2017. O clube disputa a Série B do Brasileirão pela primeira vez em sua história. Algo novo para quem sempre brigou por grandes títulos. Mas não foi isso que pesou na decisão de Valdívia ao pedir para deixar o Beira-Rio. Pela declaração dada durante a apresentação no Atlético, o jogador deixou claro que o fato de jogar a segunda divisão nacional não fez diferença.

Valdívia falou mais uma vez que a mudança de clube só ocorreu pelo fato de querer jogar mais. Pouco aproveitado por Zago, o novo reforço atleticano acredita que vai ter mais oportunidades com Roger Machado.

“Sobre a questão da saída, eu queria mesmo era retomar o meu futebol, não importava onde seria. Foi o Galo e fiquei feliz, não porque eu queria jogar a Série B. Mas era porque eu queria retomar o meu futebol”.

Futebol