PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Escudo de Tite, Edu Gaspar ganha poder com demissão e é remanejado na CBF

Lucas Figueiredo/Mowa Press
Imagem: Lucas Figueiredo/Mowa Press

Dassler Marques, Pedro Ivo Almeida e Pedro Lopes

Do UOL, em São Paulo

15/02/2017 04h00

A demissão de Erasmo Damiani, coordenador das divisões de base, promoveu uma mudança no organograma da CBF. Essa movimentação aumenta o poder de Edu Gaspar dentro da entidade presidida por Marco Polo Del Nero. 

Contratado para ser o elo entre Tite e a direção da CBF, Edu Gaspar era o coordenador apenas da seleção principal. A partir de agora, o comando de todas as seleções da entidade passa a ser responsabilidade do ex-gerente de futebol corintiano. 

Nos próximos dias, a CBF, justamente a partir da escolha de Edu Gaspar, irá escolher um novo responsável para coordenar as divisões de base. Entretanto, diferente de Damiani, o profissional escolhido para a sucessão estará inicialmente subordinado a Edu. Esse era o organograma que funcionava quando Gilmar Rinaldi era o responsável pelas seleções. 

Conforme apurou a reportagem, esse novo desenho nas funções da entidade era uma vontade do próprio Edu Gaspar, que esperava ter nas divisões de base um profissional de sua confiança. Damiani, que participou do processo do vice-campeonato do Mundial Sub-20 e da conquista dos Jogos Olímpicos, havia sido contratado por Gilmar Rinaldi. 

Fontes ligadas à CBF asseguram ser muito possível que, além de Erasmo Damiani, também seja substituído Rogério Micale, treinador das duas competições. A campanha ruim do Brasil no Sul-Americano Sub-20, com o quinto lugar e fora do Mundial da categoria, foram os resultados que fortaleceram a ideia de mudança dentro da entidade. 

Ainda não há nomes comentados dentro da CBF para as modificações, que ainda devem demorar. Edu Gaspar está em viagem com Tite pela Europa para observar atletas para a próxima convocação da seleção brasileira, que atua em março pelas Eliminatórias. Na próxima semana, o Brasil estreia no Sul-Americano Sub-17, no Chile, sob o comando de Carlos Amadeu, treinador escolhido justamente por Damiani para a função. 

Futebol