PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Oferta da Nike expõe crise entre jogadores e federação na seleção uruguaia

Suárez e Godín são alguns dos atletas que comandam a pressão pela proposta da Nike - Alfredo Estrella/AFP
Suárez e Godín são alguns dos atletas que comandam a pressão pela proposta da Nike Imagem: Alfredo Estrella/AFP

Do UOL, em São Paulo

23/08/2016 13h22

Uma oferta da Nike para ser a fornecedora de material esportivo da seleção uruguaia pelos próximos oito anos está causando polêmica no futebol do país. Apesar de a proposta da marca americana ser mais vantajosa do que o atual contrato com a Puma, o acordo pode não ser aprovado - o que já causa reação das estrelas do time nacional.

Por trás de tudo isso, segundo o jornal uruguaio El País, há razões políticas. A Nike oferece US$ 24,5 milhões (R$ 78,5 milhões) até 2024, enquanto a Puma propõe pagar US$ 5 milhões (R$ 16 milhões) até 2018. Porém, o acordo com a Puma foi intermediado pela Tenfield, empresa que controla os direitos de imagem da seleção e detém os direitos de transmissão do Campeonato Uruguaio.

A influência da Tenfield sobre os clubes, que serão os responsáveis por escolher entre as duas propostas em uma assembleia a ser realizada nesta terça-feira, é o que pode pesar a decisão a favor da Puma. O capitão da seleção, o zagueiro Diego Godín - que é patrocinado pela Puma -, publicou um texto nas redes sociais pressionando pela aceitação da oferta da Nike, falando em nome de todos os jogadores.

"Em horas decisivas para o futebol uruguaio, só exigimos que haja dignidade, transparência e respeito pelas pessoas, pelos jogadores e muito especificamente pelos valores democráticos que sempre identificaram nosso país e nosso povo", escreveu, acrescentando que "só assim [a federação] se livrará do jogo de interesses alheios e não seguirá vendendo seu rico patrimônio por um preço mais baixo do que o necessário".

O El País também informou que a proposta da Nike foi levada à federação uruguaia pelo atacante Edinson Cavani, atleta que é patrocinado pela marca americana. O jornal descartou ainda que haja a possibilidade de os jogadores abandonaram a seleção uruguaia como protesto.

A votação que definirá entre as ofertas de Nike e Puma acontece na noite desta terça-feira, em Montevidéu. Serão 19 votos na assembleia: 16 dos clubes da primeira divisão, um da segunda divisão, um da terceira e uma da Organização do Futebol do Interior, que representa equipes menores. São necessários 10 votos para aprovar uma das propostas.

Futebol