PUBLICIDADE
Topo

Futebol

De comentarista a candidato a vereador: Dinamite busca rumo após Vasco

Roberto Dinamite já está em campanha para vereador do Rio de Janeiro - Divulgação / Facebook
Roberto Dinamite já está em campanha para vereador do Rio de Janeiro Imagem: Divulgação / Facebook

Bruno Braz

Do UOL, no Rio de Janeiro

22/08/2016 06h00

Foram seis anos na presidência do Vasco, dois rebaixamentos, um título da Copa do Brasil e mais críticas do que elogios. Longe do clube comandando hoje por seu desafeto Eurico Miranda, Roberto Dinamite busca um rumo em sua vida profissional.

Até bem pouco tempo, o ex-jogador e ídolo cruzmaltino atacou de comentarista na Band e na Rádio Bradesco Esportes. Agora, abdicou da função para se candidatar a vereador do Rio de Janeiro pelo partido Solidariedade.

Aproveitando-se da Rio 2016, Dinamite tem como uma das maiores promessas de candidatura cuidar do “legado olímpico” e projetar talentos para os Jogos de Tóquio em 2020.

Além da missão parlamentar, Roberto ainda tem dado palestras.

Persona non grata

Roberto Dinamite é considerado uma “persona non grata” pela atual diretoria do Vasco. Eurico Miranda e seus companheiros consideram o ex-atacante como o principal culpado pelo delicado estado financeiro que se encontra o clube.

A última vez em que Dinamite esteve em um evento no Cruzmaltino foi na eleição na sede náutica, em novembro de 2014, quando deixou o local antes do fim da sessão. 

'Não caí de paraquedas'

Em comunicado oficial em sua página no Facebook, Roberto Dinamite emitiu sua posição sobre a reportagem. Em relação às funções, o candidato esclareceu:

"... Minha vida sempre teve rumos. Perdemos e vencemos, algo que o esporte me ensinou. Tenho feito eventos, clínicas e por convite da direção geral da TV bandeirantes, a quem agradeço pelo enorme carinho e onde fiz muitos amigos, iniciei a atividade de analista de futebol, seja na TV ou na radio Bradesco, do Grupo Bandeirantes de comunicação. Não procurei ninguém, fui chamado e, com alegria, aceitei. Foi e está sendo ótimo. No entanto, diferente do que foi "desinformado" na matéria, não abdiquei do posto na TV e rádio, e sim fui obrigado, por legislação eleitoral, a não exercer, por enquanto, a atividade. Mas tenho da direção do grupo Bandeirantes a intenção de continuar com os meus serviços no período pós eleição". 

Sobre às promessas políticas, detalhou:

"...Não cai de paraquedas no esporte, fui atleta olímpico sim, em Munique 1972, fato noticiado por vários sites e jornais, o que não creio que tenha sido feito pelo referido órgão. Tenho base para lutar por legados olímpicos. Apoio há muito tempo projetos de outros esportes que não somente o futebol. Durante a época de Deputado e vereador, dei suporte a formação de jovens, preocupados não somente como atletas, mas como seres humanos, o que deveria ser apurado. Portanto, não preciso aproveitar da ocasião. Tenho lastro para isso, quero sim cobrar e buscar uso das nossas arenas e áreas esportivas. O prefeito Eduardo Paes é um amigo, Vascaino como eu, e que sabe da minha importância e peso na busca por novos horizontes usando o esporte como caminho para a inclusão.

Apoio ao esporte é feito com responsabilidade, sem endividamento. Populismo não combina com investimento no esporte. Precisamos olhar para frente, buscar novos ares e venho como vereador para fazer diferente..."  

*Atualizada com o comunicado às 8h15 do dia 24 de agosto de 2016

Futebol