PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Scuro evita falar em erro, mas cita resultados para explicar saída de Bento

Scuro não classificou contratação de Bento como erro, mas reconheceu trabalho ruim - Paulo Sérgio/Lightpress
Scuro não classificou contratação de Bento como erro, mas reconheceu trabalho ruim Imagem: Paulo Sérgio/Lightpress

Enrico Bruno

Do UOL, em Belo Horizonte

26/07/2016 17h44

Um dia antes da apresentação de Mano Menezes no Cruzeiro, o diretor de futebol, Thiago Scuro, foi quem marcou presença na Toca da Raposa e foi aos microfones para comentar sobre a atual situação do clube. Agora com Mano Menezes, a diretoria joga suas fichas no treinador que teve uma boa passagem pelo time no ano passado, mas que deixou a equipe por causa de uma proposta milionária do futebol chinês. Sem estabelecer laços fortes e duradouros com Deivid e Paulo Bento, o clube aposta em Mano para finalmente conseguir colocar em prática a filosofia de trabalho em longo prazo e ainda terminar em alta o mandato do presidente Gilvan, que será encerrado em dezembro.

"O contrato do Mano é até o fim de 2017. Isso mostra o nosso desejo de fazer algo de médio a longo prazo, que não tem acontecido por vários fatores e nos incomoda muito. No meio do caminho todos tivemos contratempos que exigiram um desvio de rota. Então vamos trabalhar muito para que essa seja a última (contratação de técnico) até o fim de 2017", comentou o diretor.

O número de jogos que Mano Menezes comandou o Cruzeiro em sua primeira passagem pelo Cruzeiro foi semelhante aos compromissos que Deivid e Paulo Bento também alcançaram. Contudo, conforme já informado, Mano deixou o clube para se transferir para o Shandong Luneng, diferente do seus sucessores, demitidos por maus resultados. Questionado se a aposta no português foi considerada um erro, Scuro evitou falar sobre o assunto, mas reconheceu que o desempenho do treinador ficou abaixo do esperado. Assim como Mano, a expectativa também era de manter Bento no clube até o final de 2017, mas sua primeira experiência no Brasil só durou pouco mais de dois meses.

"Eu trabalho para construir tudo o que digo. Meu histórico profissional demonstra isso. Fiquei quase três anos no Redbull Brasil com o mesmo treinador.  Mas a mudança veio pelo fato de o Cruzeiro estar em 19º, com 15 pontos. A gente percebe no dia a dia um trabalho de segurança, consistente, mas com dificuldade de conseguir resultados, e eu não posso colocar meu desejo em cima daquilo que o Cruzeiro precisa. Há um mês a torcida do Cruzeiro gritou nome do Paulo Bento no Mineirão. Agora vaiou. Então a torcida muda, vocês da imprensa mudam, a diretoria muda também", acrescentou.

Assim como aconteceu em 2015, a chegada de Mano traz novos ânimos ao Cruzeiro, que novamente precisa se afastar da ameaça do rebaixamento. O treinador será apresentado às 14h desta quarta-feira e já irá comandar os treinamentos da tarde na Toca da Raposa. No domingo, Mano também já estará à beira do gramado da Vila Belmiro para iniciar sua nova era na equipe.

"Pelo elenco que tem, pelo que a equipe vem produzindo nos jogos, pelo inconformismo com a situação e pelo respeito pelo torcedor e pela história, creio que tenhamos condições de fazer um bom trabalho no Brasileiro e uma perspectiva na Copa do Brasil. Esse é um momento de olhar para frente, ir em busca de melhores resultados e se recuperar no ano", concluiu Scuro.

Futebol