PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Torcida do São Paulo protesta contra Michel Bastos e diretoria

Vanderlei Lima

Do UOL, em São Paulo

21/02/2016 15h30

A torcida organizada Independente, do São Paulo, cumpriu o que prometeu e fez o protesto contra membros da diretoria e alguns jogadores do elenco tricolor, nesta domingo (21), no Estádio do Pacaembu, antes do confronto contra o Rio Claro, válido pelo Campeonato Paulista.

Um dos principais alvos do protesto, o meia Michel Bastos, foi representado por um sósia com uma garrafa de cerveja na mão e uma camisa escrito "Migué". Uma faixa xingando o meio-campista e exaltando o uruguaio Lugano também fez parte das críticas ao jogador. Michel Bastos não foi relacionado para o jogo deste domingo, por uma decisão da comissão técnica. De acordo com apuração do UOL Esporte, o motivo não seria desgaste físico, e sim preservar o jogador das críticas que vem recebendo. 

Assim como estava previsto, dois dirigentes tricolores também foram alvos do protesto da Independente: o vice-presidente de futebol. Ataíde Gil Guerreiro, e o diretor executivo de futebol, Gustavo de Oliveira, filho de Sócrates e sobrinho de Raí. Além de alguns membros da torcida se fantasiarem com cartolas e camisas pretas com a inscrição mafioso, faixas criticando o salário de Gustavo e as promessas feitas por Ataíde foram exibidas pela organizada.

O meia Paulo Henrique Ganso também ganhou uma faixa, que misturou palavras de incentivo e cobrança. "Ganso, confiamos e acreditamos em você. Vamos acordar", dizia a mensagem.

O protesto seguiu até o Portão 23, onde o ônibus da equipe chega e fica estacionado durante a partida, que acontece às 17h. Os jogadores tricolores, porém, chegaram antes dos torcedores que saíram da Praça Charles Miller em direção ao local. Com isso, foi evitada uma possível confusão. 

Futebol