PUBLICIDADE
Topo

Aliado de Teixeira trabalha em gabinete de Zeze Perrella, que estará na CPI

Weber Magalhães caminha em campo na Coreia do Sul ao lado de Joseph Blatter, em partida contra a Turquia, na Copa de 2002 -  Juca Varella/Folhapress
Weber Magalhães caminha em campo na Coreia do Sul ao lado de Joseph Blatter, em partida contra a Turquia, na Copa de 2002 Imagem: Juca Varella/Folhapress

Daniel Brito

Do UOL, em Brasília

11/06/2015 06h01

 Um personagem que durante muitos anos posou ao lado da figura de Ricardo Teixeira e, mais recentemente de José Maria Marin, quando estes eram presidentes da CBF, deve participar da CPI do Futebol que está em implementação no Senado Federal. Trata-se do carioca radicado em Brasília Weber Magalhães, 42, que hoje serve ao senador Zezé Perrella (PDT-MG), um dos indicados pela bancada de apoio ao governo para ser membro da comissão.

Até abril último, Magalhães ocupava a cadeira de vice-presidente da CBF, quando teve início a gestão Marco Polo Del Nero e foi sacado do cargo. Magalhães ocupou o posto de 2004 a 2015. Contratos feitos pela confederação neste período estão sob suspeição e em investigação pela Justiça dos Estados Unidos.

Antes de ser vice de Teixeira, fora chefe da delegação brasileira na Copa do Mundo da Coreia do Sul e Japão, em 2002. Usou o “pé quente” da conquista do pentacampeonato mundial como slogan para tentar uma cadeira na Câmara dos Deputados, mas não obteve êxito.

Weber é funcionário do Senado desde 1984. Com Perrella, ocupa o cargo de técnico legislativo, com um regime especial de frequência, ou seja, não precisa registrar o ponto, como fazem os demais servidores. Recebe um salário mensal na casa dos R$ 18 mil, conforme está disponível no “Portal da Transparência e Controle Social” do Senado.

Antes eloquente, Magalhães agora adota uma postura mais discreta. Para falar com o UOL Esporte, pediu para que a entrevista não fosse gravada. “Não tenho nada para falar, podemos só conversar”, disse. Garantiu que ficou surpreso com as denúncias contra Marin e  defendeu investigação. Perguntado sobre em que poderia ajudar na CPI, respondeu: “Sempre que Perrella precisar de alguma informação que eu souber, vou ajudar”, limitou-se a responder.

Perrella concorda que Magalhães possa contribuir com o andamento da CPI e ainda reagiu com bom humor quando questionado sobre a presença de um aliado de Teixeira e Marin em sua equipe: "Capaz de o Weber ser convocado para depor", e encerrou a entrevista dando risada.

Futebol