PUBLICIDADE
Topo

Futebol

CPI do Futebol terá de vencer recessos parlamentares para engrenar

Romário reuniu 53 assinaturas no Senado para a CPI do Futebol - Ed Ferreira/Folhapress
Romário reuniu 53 assinaturas no Senado para a CPI do Futebol Imagem: Ed Ferreira/Folhapress

Daniel Brito

Do UOL, em Brasília

01/06/2015 06h01

A velocidade que o senador Romário (PSB-RJ) e o deputado federal João Derly (PC do B-RS) encontraram para conseguir 234 assinaturas para a criação da CPI do Futebol dificilmente deve se repetir após a instalação da comissão para apurar possíveis irregularidades em contratos feitos pela CBF para a Copa das Confederações-2013 e a Copa do Mundo-2014. 

Os meses de junho e julho estão longe de serem os mais produtivos no parlamento. Em junho, diversos deputados e senadores do Nordeste deixam de comparecer às sessões por causa dos festejos juninos. Em algumas unidades da federação, as celebrações perduram pelo mês inteiro e os deputados e senadores aproveitam a época para promover uma agenda positiva em sua base eleitoral. Esse período é conhecido em Brasília como recesso branco, ou seja, extra-oficial.

Foi o que aconteceu, por exemplo, há três anos, durante a CPI do Cachoeira. Criada em abril de 2012, teve a adesão de mais de 300 deputados (contra 181 na Câmara e 42 no Senado para a CPI do Futebol), para investigar a participação do empresário Carlinhos Cachoeira na exploração de máquinas caça-níquel e ligação com agentes públicos no Brasil. Menos de dois meses após instalada, a comissão foi paralisada por mais de 20 dias em junho. A alegação oficial foi a participação e acompanhamento dos parlamentares no Rio+20, no Rio de Janeiro.

Porque o recesso oficial é em julho. Em 2015, está marcada para a partir de 17 de julho, quando os parlamentares terão 15 dias de descanso. Voltando só em agosto.

A CPI do Futebol já aprovada no Senado tem 180 dias de prazo para realizar toda investigação. Mas os primeiros 60 dias já estão comprometidos. A não ser que os senadores queiram trabalhar na comissão durante a folga, que é permitido, mas não tão usado. Os membros da CPI ainda não foram definidos. Só após a indicação dos componentes da comissão, que é feita pelos líderes das bancadas, ela poderá ser instalada e iniciar os trabalhos.

Já na Câmara o processo deve demorar ainda mais. Porque o requerimento de Derly ainda precisa ser lido em plenário. E se quiser se aprovado, terá de furar fila, há outros 10 pedidos de instauração de CPI esperando a confirmação.

Futebol