Topo

Futebol


Egídio chora ao deixar o Cruzeiro

Egídio vai à Toca da Raposa II e se despede dos colegas de equipe - Thiago Fernandes/UOL Esporte
Egídio vai à Toca da Raposa II e se despede dos colegas de equipe Imagem: Thiago Fernandes/UOL Esporte

Enrico Bruno e Thiago Fernandes

Do UOL, em Belo Horizonte

07/01/2015 18h36

"Estou indo, chegou a hora". Essas foram as primeiras palavras de Egídio para confirmar sua saída do Cruzeiro. Ele vai para o Dnipro, da Ucrânia.

O lateral esquerdo compareceu à Toca da Raposa na tarde de quarta-feira, data de reapresentação dos jogadores. Sem o uniforme de treino, o agora ex-camisa 6 se despediu de Marcelo Oliveira, do auxiliar Tico dos Santos e logo em seguida dos companheiros de clube nos últimos dois anos. Chorando, falou sobre a satisfação em ter vestido a camisa celeste nas últimas temporadas.

"Só tenho a agradecer aos torcedores por esses dois anos de trabalho do Cruzeiro, de títulos muito importantes, à diretoria, ao treinador Marcelo e à comissão, ao elenco. Tive uma passagem muito boa e fui muito feliz aqui. Hoje, estou de partida, mas quem sabe um dia eu volto. Quero deixar as portas abertas, porque fui muito feliz. Fico emocionado, porque tive muitas felicidades. Vou embora, mas muito feliz. Deixo um abraço a todos os torcedores", comentou o lateral, em rápida entrevista.

Apesar de confirmar a venda de Egídio ainda na noite da última terça-feira, o Cruzeiro ainda precisou se reunir com um representante do clube ucraniano nesta tarde para efetivar o negócio. O Cruzeiro não informa detalhes sobre os valores da venda, mas cerca de dois milhões de euros serão desembolsados pelo Dnipro para contar com o jogador pelas próximas três temporadas. Como não é detentor dos direitos econômicos do atleta, as tratativas foram conduzidas por Eduardo Uram, empresário do jogador.  O time de Minas Gerais terá direito a uma parcela que varia de 10 a 15%, como clube vitrine.

Egídio chegou ao Cruzeiro no início da temporada de 2013, após boa apresentação com o Goiás no ano anterior, conquistando o Brasileiro da Série B com a equipe esmeraldina. Aos 28 anos, deixa a Toca levando dois títulos do Brasileirão e um Mineiro de 2014, além de ter sido considerado o melhor lateral-esquerdo do último nacional.

Futebol