PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Gobbi trocou joia da base por dívidas. Para o Corinthians, restaram só 5%

Matheus Pereira, conhecido como Pirulão, foi utilizado pelo Corinthians como moeda de troca - Arquivo Pessoal
Matheus Pereira, conhecido como Pirulão, foi utilizado pelo Corinthians como moeda de troca Imagem: Arquivo Pessoal

Dassler Marques

Do UOL, em São Paulo

18/11/2014 12h00

Camisa 10 da seleção sub-17, Matheus Pereira já está a caminho de sua primeira Copa São Paulo de Juniores pelo Corinthians. Dele, o clube só pode esperar sucesso dentro de campo. Afinal, economicamente, Matheus já foi absorvido no cenário de contas vencidas e arrocho financeiro que marca os corintianos na atualidade.

Em menos de quatro meses desde a assinatura do contrato profissional de Matheus Pereira, o Corinthians cedeu 95% dos direitos econômicos para os representantes do jogador. Foram três atos para que Pirulão, como é conhecido pelo corpo esguio, se tornasse propriedade dos empresários Fernando Garcia, Guilherme Miranda, Thiago Ferro e Nílson Moura.

As transferências de direitos econômicos foram assim:

1) março/2014
Destaque da base do Corinthians desde que conquistou o Paulista Sub-11, Matheus acordou que receberia 30% de seus direitos na assinatura do contrato profissional, em março, como luvas. O procedimento é padrão na base corintiana e da maioria dos clubes do país. A família dele, imediatamente, comercializou sua porcentagem com os quatro empresários.
Como ficou: Corinthians 70% / investidores 30%

2) abril/2014
O Corinthians tinha dívidas a vencer havia quase dois anos em função da compra de direitos de Ralf. Naquele ano, em meio ao título da Copa Libertadores, o volante interessava à Fiorentina, mas ficou. Além disso, também devia comissão referente à contratação do zagueiro Cléber, em 2013.

Pressionada para pagar, a direção corintiana cedeu 30% dos direitos econômicos de Matheus Pereira, 30% de Malcom e 30% de Guilherme Arana. De acordo com Ronaldo Ximenes, diretor de futebol, a parte referente a Pirulão amortizou R$ 750 mil de uma dívida total de R$ 2,830 milhões que foi sanada com Fernando Garcia. Ele é irmão do provável candidato oposicionista Paulo Garcia.
Como ficou: Corinthians 40% / investidores 60%

3) julho/2014
Pouco depois de chegar do Penapolense por empréstimo e se destacar, Petros recebeu proposta do Hamburgo-ALE. Para segurar o jogador, o Corinthians acordou a compra de 50% dos direitos que pertenciam aos mesmos empresários de Matheus Pirulão por R$ 3 milhões. Um terço desse pagamento, porém, foi feito com a transferência de mais 35% dos direitos do jovem meia canhoto. A direção corintiana tem prazo apertado para ainda pagar outra parte de Petros.
Como ficou: Corinthians 5% / investidores 95%

Ronaldo Ximenes teve aval de Mário Gobbi

Responsável pelas duas últimas negociações, o diretor de futebol Ronaldo Ximenes confirmou os dados à reportagem. "Existia a necessidade em pagar os credores", diz sobre a dívida de Ralf. "Isso caiu no meu colo quando virei diretor de futebol", lembra o sucessor de Roberto de Andrade, agora candidato a presidente pela situação.

Ainda de acordo com Ximenes, a cessão de mais 35% dos direitos de Matheus foi a única saída para manter um titular no Brasileiro. "Pela identificação com a torcida, pela qualidade, pelo modo que ele vestiu a camisa como chegou, nós não podíamos perder o Petros. Ele é uma realidade. O Pirulão pode vir ser um grande jogador", compara Ronaldo Ximenes.

"Isso foi feito com aval do presidente Gobbi e creio que foi a decisão correta. Tenho a consciência tranquila, agi com lisura e por isso tenho condições de apresentar hoje esses dados de forma transparente", explica Ronaldo Ximenes.

O procedimento adotado pelo diretor é diferente ao que ocorria durante a gestão de Andrés Sanchez. Em situações semelhantes, empresários não tinham direito a receber porcentagem superior a 30% de direitos de um mesmo jogador da base. "O Andrés entregava uma lista com todos os jogadores, o valor de cada e você escolhia um pouco de cada um", explica um agente à reportagem.

Corinthians não poderá recomprar direitos do jogador

Reconhecido por scouts de clubes europeus como o melhor jogador brasileiro nascido em 1998, Matheus Pirulão não poderá ser recomprado pelo Corinthians caso vingue na equipe profissional. Nenhum acordo do tipo foi firmado com Fernando Garcia, Guilherme Miranda, Nílson Moura e Thiago Ferro.

Especula-se, inclusive, que Matheus se transfira para a Inglaterra ao completar 18 anos. Nesse caso, o clube teria direito a receber 5% do valor da venda, além da cláusula de solidariedade estipulada pela Fifa para o formador.

Futebol