PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Torcida protesta no CT, mas desiste de manifestar em frente à casa de Mano

Dassler Marques

Do UOL, em São Paulo *

17/10/2014 13h19

* Texto atualizado às 14h33

Cerca de 100 torcedores de organizadas do Corinthians protestaram nesta sexta-feira à tarde na entrada do CT Joaquim Grava. Os manifestantes chegaram a combinar um nova gritaria, desta vez em frente à casa de Mano Menezes, que ocorreria logo após a ida ao centro de treinamento. Mas o grupo acabou desistindo. A Gaviões da Fiel ofereceu ônibus gratuitos para os interessados em comparecer ao protesto no clube.

A manifestação no CT foi sem violência e teve como alvos principais o técnico Mano Menezes e o presidente do clube, Mário Gobbi.

"Mano, c..., fora do Timão!", gritaram os uniformizados.

Em um dos cantos entoados, os membros de organizadas prometeram “terror” caso o time continue sem vencer. No domingo, o Corinthians enfrenta o Internacional, em Porto Alegre.

“Começa a jogar bola ou segura o terror”.

O único jogador preservado pela torcida foi o peruano Paolo Guerrero, autor do gol do Corinthians na goleada sofrida por 4 a 1 contra o Atlético-MG, no Mineirão, na eliminação do time paulista da Copa do Brasil.

“Guerrero, o resto é pipoqueiro!”.

A segurança no local foi reforçada pela Polícia Militar. Pelo menos 10 viaturas da polícia auxiliaram na patrulha. Não houve contato dos manifestantes com os atletas. Ciente na quinta à noite de que os torcedores compareceriam ao CT na tarde de sexta, a diretoria alvinegra antecipou o treino para as 9h30. Com a entrada mais cedo, o clube minimizou risco de confusão na entrada do centro de treinamento.

Futebol