PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Flamengo perde destaque da Copa por economia com aluguel e passagem

Bolaños foi um dos destaques da Copa e esteve próximo de fechar com o Flamengo - Kevin C. Cox/Getty Images
Bolaños foi um dos destaques da Copa e esteve próximo de fechar com o Flamengo Imagem: Kevin C. Cox/Getty Images

Vinicius Castro

Do UOL, no Rio de Janeiro

06/08/2014 06h10

Um dos destaques da Copa do Mundo pela surpreendente seleção da Costa Rica, o meia Christian Bolaños esteve próximo de reforçar o Flamengo. A contratação era considerada importante e uma das ações para ajudar o time a sair da crise no Campeonato Brasileiro. Porém, a diretoria mudou os planos, decidiu economizar e abriu mão de contar com o atleta.

O UOL Esporte apurou que a transação não foi concretizada por conta de o Rubro-negro negar o pagamento do aluguel de um apartamento para o jogador no Rio de Janeiro. A diretoria também se recusou a custear as passagens aéreas de Bolaños e familiares até a cidade. Aos 30 anos, ele sentiu-se desvalorizado e aguarda o seu próximo clube após deixar o Copenhage, da Dinamarca.

A reportagem procurou o empresário Léo Rabello, que recebeu autorização do jogador para negociá-lo com o Flamengo. O agente confirmou a informação, assegurou que restavam pequenos detalhes para o acerto e revelou outros pontos das tratativas. Sobraram críticas ao Rubro-negro.

“O Flamengo fechou com o jogador e resolveu fazer exigências. O clube não quis pagar o aluguel do apartamento dele no Rio de Janeiro, o que é uma coisa mais do que normal no futebol. Também decidiu não custear as passagens aéreas. Eles ainda exigiram que o atleta atuasse em mais de 50% das partidas para que o contrato não fosse rescindido em dezembro”, afirmou Léo Rabello.

“É um completo absurdo. Não posso afirmar que ele jogaria no Flamengo, pois faltava assinar, mas tudo estava encaminhado. O Bolaños se sentiu desprestigiado e achou que não havia tanto interesse do clube. É aquela história. Eles engolem um elefante e engasgam com uma formiga”, completou o empresário.

O diretor executivo de futebol do Flamengo, Felipe Ximenes, foi procurado para comentar o caso, mas preferiu não se pronunciar.

A política de austeridade da gestão Eduardo Bandeira de Mello é alvo de discussão nos corredores da Gávea. Situação, oposição e técnico Vanderlei Luxemburgo reconhecem a necessidade de contratações. Entretanto, a administração assegura frequentemente que a crise financeira é o principal obstáculo para mudanças emergenciais.

Após perder Bolaños, Robinho e outros possíveis reforços, o Flamengo busca soluções para deixar a lanterna do Brasileirão. A torcida ainda sonha com mudanças, mas a tímida movimentação no mercado amplia a preocupação com o futuro na temporada.

Futebol