PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Pelé vê caso de racismo com D. Alves como "tempestade em copo d'água"

Da AFP, em São Paulo

02/05/2014 20h57

A grande repercussão do caso de racismo contra Daniel Alves no jogo entre Barcelona e Villareal foi considerada exagerada por Pelé. Nesta sexta-feira, o rei do futebol disse que a  cena do lateral brasileiro comendo a banana que foi lançada em campo era algo banal e ainda reforçou o discurso do técnico da Espanha, Vicente Del Bosque, de que não há racismo no futebol.

“Não há racismo no futebol, mas sim em todos os setores da sociedade, e faz muito tempo”, declarou Pelé em visita a um fórum agrícola na cidade de Ribeirão Preto, no interior de São Paulo.  “Foi uma coisa tão banal, só um cara que lançou uma banana, acredito que fizeram tempestade em copo d’água”, completou.

Para o rei do futebol,  o caso de Daniel Alves não é algo comum no esporte mais popular do país, considerando que são poucos as situações semelhantes se comparadas ao número de campeonatos de futebol que existem no mundo. Ele ainda lembrou dos seus tempos como jogador, quando os objetos jogados no gramado eram ainda mais preocupantes.

“No meu tempo jogavam jaca, manga...”, disse.

Na última terça-feira, Daniel Alves descascou e comeu uma banana que foi lançada contra ele, quando se preparava para fazer uma cobrança de escanteio na partida contra o Villareal. A atitude foi tomada pelo jogador para tirar o significado do ato racista cometido por um torcedor do Villareal e ganhou grande repercussão internacional, motivando a campanha #somostodosmacacos, inciada por Neymar e idealizada pela agência de publicidade Loducca.

A campanha foi muito difundida, inclusive por diversos jogadores como Lucas, Mario Balotelli e Luis Suarez e celebridades, como Ivete Sangalo, Michel Teló e Luciano Huck. Este último chegou a lançar uma camiseta com o slogan da campanha, mas foi duramente criticado.

Autor do ato que gerou tanta repercussão, Daniel Alves aponta hipocrisia de quem critica a campanha e lembra de que é preciso prestar atenção ao objetivo e não ao contexto da ação.

"É hipocrisia criticar uma campanha contra o racismo. Os críticos estão se apegando ao contexto (o episódio da banana), e não ao objetivo, que é conscientizar as pessoas de que somos todos humanos e somos todos iguais", disse o lateral, em entrevista à BBC.

Futebol