PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Justiça espanhola volta a cobrar documentos do Santos no caso Neymar

"Novela" sobre a transferência de Neymar ao Barcelona em maio do último ano continua na Vila Belmiro - REUTERS/Gustau Nacarino
"Novela" sobre a transferência de Neymar ao Barcelona em maio do último ano continua na Vila Belmiro Imagem: REUTERS/Gustau Nacarino

Do UOL, em Santos (SP)

26/03/2014 19h33

O Santos voltou a ser cobrado pela Justiça Espanhola no caso Neymar. Poucos minutos antes do duelo contra a Ponte Preta, válido pelas quartas de final do Campeonato Paulista, nesta quarta-feira, na Vila Belmiro, o clube divulgou que o Ministério Público Federal pediu para a diretoria santista encaminhar novos documentos relacionados à transação do atual camisa 10 da seleção brasileira ao Barcelona, da Espanha, em maio do ano passado.

O Comitê Gestor do Santos terá dez dias úteis para enviar a documentação, mas avisou que atenderá ao pedido já nesta quinta-feira. Em nota oficial, o clube informou a documentação que foi solicitada pelo Ministério Público.

“Chegou hoje, dia 26 de março, ao presidente do Santos FC, Odílio Rodrigues, documento enviado pelo Ministério Público Federal, com data de 20 de março, requisitando remessa à Secretaria de Cooperação Jurídica Internacional do Ministério Público Federal dos seguintes documentos: a) contrato de trabalho celebrado entre o Santos Futebol Clube e o jogador Neymar da Silva Santos Jr.; b) toda a documentação que lhe foi remetida pelo Futbol Club Barcelona e que se encontre relacionada com a contratação do referido jogador, incluindo, se existir, uma suposta carta por parte do presidente do Futbol Club Barcelona, Sandro Rosell, dirigida a Vossa Senhoria, com data de 19 de julho de 2013, na qual expunha os valores da operação. O requisito dá 10 dias úteis ao Santos FC para encaminhar a documentação. O Clube ficou de enviar a documentação até amanhã (quinta-feira)”, explica a nota.

O clube ainda reiterou que não havia recebido nenhuma solicitação da Justiça da Espanha. Há 13 dias, o Santos também informou em nota que enviou todos os documentos solicitados pelas Justiças do Brasil e da Espanha. O clube elenca o contrato de transferência de direitos federativos de Neymar, a carta de compromisso entre Santos e Barcelona e o TMS da Fifa. O contrato de trabalho, também solicitado pelas autoridades espanholas, não é citado.

Em janeiro, as autoridades espanholas solicitaram uma cópia do contrato que o jogador tinha com o clube brasileiro. O juiz da Audiencia Nacional da Espanha Pablo Ruz, que cuida do caso, reiterou o pedido, nesta semana.

Em fevereiro, o Santos enviou três documentos solicitados pelas autoridades espanholas: o contrato de transferência do atleta para o Barcelona, a carta de compromisso assinada pelos dois clubes e a transferência, e o Transfer Matching System, registro on line feito na Fifa em transações entre clubes. O clube, porém, não mandou o contrato de trabalho de Neymar, que tinha validade até 2014.

Além desse documento, a Justiça da Espanha informou ter solicitado também uma "suposta carta do presidente do FC Barcelona, Sandro Rosell, dirigida ao presidente do Santos, Odílio Rodrigues, do dia 19 de julho de 2013, explicando as cifras da operação".

Além dos documentos do clube brasileiro, as autoridades espanholas cobraram a Fifa para que a entidade envie o contrato registrado entre Neymar e o Barcelona. A federação internacional se negou a mandar os registros, após o primeiro pedido feito, ainda em janeiro.

O Santos recebeu 17,1 milhões de euros (cerca de R$ 55 milhões) pelos direitos econômicos do jogador. Mas outros valores foram pagos e confirmados pelo clube.

Futebol