PUBLICIDADE
Topo

Futebol

São Paulo acerta renovação de contrato de Muricy Ramalho até 2015

Do UOL, em São Paulo

07/12/2013 13h43

O São Paulo firmou neste sábado a renovação do contrato do técnico Muricy Ramalho até 2015. A informação foi divulgada pelo clube nas redes sociais.

"Sempre disse que com o Dr. Juvenal Juvêncio não precisaria de muita conversa para eu renovar. Sempre foi assim entre a gente, porque eu o respeito muito e nossa conversa sempre foi muito direta. E foi assim dessa vez de novo. Estou feliz de ficar porque aqui é a minha casa e o carinho que o torcedor do São Paulo FC demonstra por mim me motiva demais para trabalhar nesse clube. Estou muito empolgado para que a gente tenha um ano muito bom em 2014", disse Muricy ao site oficial do São Paulo.

Com o prolongamento do vínculo confirmado pelo São Paulo neste sábado, o treinador tem grandes chances de bater o recorde e se tornar o que mais comandou o São Paulo em número de jogos na história, se cumprir o novo contrato até o fim.

Até agora, somadas as passagens anteriores, Muricy acumula 388 jogos pelo clube. Ele é o quarto no ranking entre os que mais comandaram o São Paulo.

O São Paulo acertou ao renovar com Ceni e Muricy?

Resultado parcial

Total de 9216 votos
72,17%
22,93%
0,73%
4,18%
Total de 9216 votos

Perde para o próprio mentor, Telê Santana (412 jogos), de quem foi auxiliar no início da carreira após a aposentadoria como jogador, José Poy (422 jogos) e, finalmente, Vicente Feola, que detém a marca maior: 532 partidas.

O sábado marcou também a continuação de Rogério Ceni no elenco tricolor. O goleiro adiou o plano de aposentadoria e renovou contrato até o fim de 2014.

Muricy recebeu aumento salarial, mas não chegará ao patamar do que ele já recebeu anteriormente em outros clubes. Os vencimentos pularam de pouco mais de R$ 300 mil para cerca de R$ 500 mil. No Santos, o treinador chegou a receber R$ 700 mil.

Aos 58 anos, Muricy Ramalho fala em encerrar a carreira de treinador no São Paulo. Ele foi revelado no clube como jogador, no qual jogou entre 1973 e 1979.

Voltou em 1993, como auxiliar de Telê Santana, e nos anos seguintes teve as primeiras oportunidades como treinador. Depois, voltou ao clube em 2006, na passagem em que venceu três vezes o Brasileirão e se tornou ídolo.

Futebol