PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Pai de Neymar indica Pinga ao Santos para ajudar agente influente no Barça

Pinga sempre figura ao lado de Neymar durante os treinos do Santos no CT Rei Pelé - Ricardo Saibun/Divulgação Santos FC
Pinga sempre figura ao lado de Neymar durante os treinos do Santos no CT Rei Pelé Imagem: Ricardo Saibun/Divulgação Santos FC

Samir Carvalho

Do UOL, em Santos (SP)

10/05/2013 10h00

A contratação do meia Pinga, reforço que só vestiu a camisa do Santos em quatro jogos e atuou por apenas 78 minutos nesta temporada, teve o aval de Neymar da Silva Santos, pai do atacante Neymar. O pai do principal jogador do futebol brasileiro foi o responsável por dar boas referências do atleta ao clube e também por intermediar o encontro dos dirigentes santistas com André Cury, empresário que administra a carreira do jogador.

“Quem trouxe (Pinga ao Santos) foi o André Cury. O pai do Neymar nos deu boas referências dele (Pinga), mas quem trouxe o jogador foi o André Cury. A gente fez um contrato até o final de maio por ter informações boas dele. O pai do Neymar que é muito próximo ao André Cury também disse que ele era bom jogador e disse que valia a pena”, afirmou o vice-presidente do Santos, Odílio Rodrigues.

André Cury é amigo de Neymar pai e possui bastante influencia no Barcelona, da Espanha. O agente, que intermediou as contratações do zagueiro Henrique e do atacante Keirrison pelo time catalão entre 2008 e 2009, é o responsável por manter o staff de Neymar informado sobre o Barça, clube que nunca escondeu o interesse em contratar o camisa 11 do Santos.

Em contato com o UOL Esporte, André Cury e a assessoria de imprensa de Neymar amenizam a influencia de Neymar pai na chegada de Pinga ao Santos. Eles alegam que a única intervenção de Neymar da Silva Santos foi marcar a reunião do agente com a diretoria santista. “Ele só marcou a reunião”, disse o empresário, que também é amigo pessoal de Sandro Rosell, presidente do clube catalão.

Questionado sobre uma possível transferência de Neymar ao Barcelona na abertura da próxima janela de transferências do futebol europeu, André Cury se esquivou: “está tudo parado no Barcelona”.

Já a contratação de Pinga pelo Santos começou com mistério e terminou com reprovação. O técnico Muricy Ramalho disse que não pediu o jogador e, inclusive, declarou em sua primeira entrevista coletiva de 2013, que a chegada do atleta ao clube era para atender o “pedido de um parceiro”.

“Rejeitado” por Muricy, o jogador não renovará contrato com o Santos após o fim do Campeonato Paulista, quando termina seu empréstimo com o clube. “O contrato dele acaba em maio e não temos interesse em continuar”, disse o gerente de futebol santista, Nei Pandolfo.

A última vez que Pinga defendeu o Santos foi no dia 6 de fevereiro, no empate contra o Linense por 2 a 2, em Lins, em jogo válido pela sexta rodada do Campeonato Paulista. O meia de 31 anos não atuou nenhuma partida como titular e sequer é relacionado para os jogos.

Rejeição de Muricy por Pinga irrita empresário

André Cury não compreende o motivo do técnico Muricy Ramalho não ter utilizado o meia Pinga no time da Vila Belmiro. “Tem que perguntar para o Muricy por que ele não dá oportunidade ao jogador. Quem acompanha o treino do Santos sabe que ele dá passes e faz gols. O Muricy jamais poderá dizer que o Pinga não tem condições de jogar no Santos, pois ele não testou o atleta”, disparou o agente.

Antes de chegar ao Santos com o aval de Neymar pai e André Cury, o meia Pinga só era lembrado no futebol brasileiro devido a uma rápida passagem pelo Internacional entre 2006 e 2007.

Além de Inter e Santos, o atleta defendeu três clubes italianos – Torino, Siena e Treviso. Antes de voltar ao Brasil no início deste ano, Pinga defendeu três clubes dos Emirados Árabes – Al-Whada, Al-Ghrafa e Al Dhafra.

Futebol