PUBLICIDADE
Topo

Futebol

"Não tenho mágoa, mas tem coisa ruim que é bom não encontrar", diz Ronaldo sobre Luxa

Ex-goleiro Ronaldo posa ao lado do apresentador Neto durante o programa "Papo Reto" - Flavio Florido/UOL
Ex-goleiro Ronaldo posa ao lado do apresentador Neto durante o programa "Papo Reto" Imagem: Flavio Florido/UOL

do UOL, em São Paulo

17/07/2012 17h00

Convidado desta semana do "Papo Reto com Neto", Ronaldo Giovanelli, capitão do Corinthians campeão paulista de 1997, relembra sua conturbada saída do clube durante conversa com Neto: "fiquei muito triste. Merecia respeito".

O ex-goleiro conta que, após treinar mais de 40 dias sem contrato e sem receber, estava fumando escondido no banheiro quando ouviu uma conversa entre Luxa e Melo que culminou em sua decisão de deixar o clube. "Não tenho mágoa [de Luxemburgo], mas tem coisa ruim que é bom não encontrar na vida", finaliza.


Ronaldo acredita que Vanderlei Luxemburgo, técnico do time na época, "pensou que me dominando, conseguiria deixar todo mundo 'pianinho'". E completa, "percebi que a diretoria do Corinthians não me queria mais quando mandaram o Aguinaldo Moreira -meu treinador há mais de nove anos- embora".

Entre os outros assuntos abordados no programa, o comentarista explica sua doença e conta que ficou careca em apenas 15 dias, diz acreditar que o Corinthians deve a nova fase ao ex-presidente Andrés Sanchez, defende Neymar de críticas e comparações com Lionel Messi e avalia duramente a atual geração de goleiros: "eles jogam vôlei no gol. Estão sempre com o olho fechado e a mão aberta [para espalmar]". Mas como toda regra tem exceção, Ronaldo Giovanelli acredita que Rafael, do Santos, e Cássio, do Corinthians, se destacam na posição atualmente e podem fazer um bom trabalho pela seleção brasileira.

A partir do próximo dia 26, o programa “Papo Reto com Neto” será transmitido quintas-feira, às 17h.

Futebol